Roteiro de 15 dias pelo Canadá: planeje uma viagem memorável

O Canadá tem um dos mais altos índices de desenvolvimento humano (IDH) do mundo, o que o torna um dos melhores lugares para viajar e viver.

É uma nação organizada, de economia robusta e estável, com educação sólida e dotada de uma natureza exuberante, o que torna a viagem uma experiência inesquecível.

A heterogeneidade cultural faz do Canadá um país cosmopolita, no qual os habitantes e suas culturas possuem forte papel no desenvolvimento e crescimento do país.

Ao traçar uma rota de viagem pelo Canadá, pode-se praticar o inglês e o francês, pois se trata de uma nação bilíngue.

Roteiro de 15 dias pelo Canadá: planeje uma viagem memorável

A proposta é uma trajetória Leste-Oeste pelo país, garantia de momentos maravilhosos durante quinze dias de programações turísticas variadas por cinco cidades: Saint John, Thunder Bay, Winnipeg, Edmonton e Vancouver.

Planeje a viagem, arrume as malas e parta do Leste rumo ao Oeste.

Saint John

O início da aventura Leste-Oeste pelo Canadá se dá no extremo leste canadense. Saint John é uma cidade portuária da Baía de Fundy, na província de New Brunswick.

O porto de Saint John é o terceiro maior porto do Canadá por tonelagem, com uma base de carga que inclui o volume seco e líquido, carga fracionária, contêineres e cruzeiros.

Em Saint John, é agradável dar uma volta de bicicleta pela cidade e conhecer a enorme região portuária, o Rockwood Park, a Kennebecasis Island e a Long Island, além de apreciar o pôr do sol nas margens do St. John River.

No segundo dia, o principal é ousar um pouco e sair rodando pela região, conhecer o Maquapit Lake, tirar lindas fotografias no Grand Lake e, quem sabe, visitar o Canaan Bog Park?

Encerre a passagem por Saint John em algum pub às margens da baía de Fundy.

O deslumbrante visual deKennebecasis Island.

ThunderBay

Em Ontário, a parada obrigatória do roteiro de viagem pelo Canadá é em ThunderBay. A cidade fica localizada no litoral norte do Lago Superior e tem uma população de aproximadamente 120 mil habitantes.

É um local pouco turístico, distante dos padrões de grandes centros urbanos mundialmente conhecidos, o que é bom, pois valoriza o estilo aventureiro.

Por isso, aqui, assim como em Saint John, é importante reservar uns três dias para passeios náuticos e para apreciar a natureza.

É válido se hospedar na McKellarIsland ou na MissionIsland, pois será um bom local de acesso para as WelcomeIslands e para a Pie Island. Nesta última, destacam-se a Le Pate Provincial Nature Reserve e o Perch Lake. Puraaventura.

Se houver tempo, esticar a jornada e respirar os ares do SleepingGiant Provincial Park não fará mal a ninguém!

De volta à cidade, o turismo verde pode continuar pelo CentennialBotanicConservatory Park, pela Kakabeka Falls e, se o segundo dia estiver animado, pelo LochLomond, FlatlandIsland e CloudBay.

No último dia, será fácil perceber a renomada e forte educação canadense ao visitar o ConfederationCollege e a LakeheadUniversity. E finalmente relaxar em algum restaurante do centro de ThunderBay, depois de visitar o ThunderBayMuseum.

Você vai se encantar com as belezas naturais de ThunderBay.

Winnipeg

Para incrementar a viagem com visuais inesquecíveis, o bom é alugar um carro em ThunderBay e viver uma experiência fantástica rumo a Winnipeg.

Nomeada em homenagem ao lago Winnipeg, é a capital e a maior cidade da província canadense de Manitoba. Está localizada perto do centro longitudinal da América do Norte e a 110 quilômetros da fronteira com os Estados Unidos. É também o lugar da confluência dos rios Vermelho e Assiniboine.

Sem obstáculos geográficos que possam barrar frentes frias vindas do Ártico ou frentes quentes vindas do Sul, Winnipeg caracteriza-se pelo seu clima altamente instável, conhecido pelos seus extremos e mudanças radicais em pouco tempo.

É uma das cidades de grande porte mais frias do mundo no inverno, com temperaturas médias abaixo de zero de novembro a março, mas com verões muito quentes, com a temperatura frequentemente alcançando os 30°C entre maio e setembro, muitas vezes excedendo os 35°C.

A cidade recebe mais precipitação média anual do que outras cidades das Grandes Planícies canadenses, embora também seja caracterizada pela abundância de luz solar, recebendo mais horas de sol por ano do que outras grandes cidades canadenses.

Winnipeg é um centro de transporte ferroviário e de transportes em geral.

A população é de aproximadamente 705 mil habitantes, além de 815 mil em sua região metropolitana, o que faz da metrópole de Winnipeg a 7ª região mais populosa do Canadá.

A cidade também é conhecida por seus parques bem arborizados – são cerca de 900 parques e praças –, excelentes para os apaixonados por atividades ao ar livre.

Entretanto, nessa etapa da viagem o interessante é migrar um pouco das aventuras naturais para as culturais.

A educação de qualidade, tão característica do Canadá, também é visível em Winnipeg. Por essa razão, a localidade é bem conhecida por suas artes. Por isso, os três dias na ensolarada cidade de Manitoba devem ser bem aproveitados pelas diversas instituições de arte de renome mundial.

As instituições culturais mais populares da cidade são: o Balé Real de Winnipeg, a Galeria de Arte de Winnipeg, o Manitoba Theatre Centre, o Prairie Theatre Exchange e a Orquestra Sinfônica de Winnipeg.

Todo ano, a cidade sedia vários grandes festivais. O Winnipeg Fringe Theatre Festival é o segundo maior festival do Teatro Fringe da América do Norte, realizado todo mês de julho.

Outros festivais incluem o Festival de Voyageur, o Folklorama, o Festival de Jazz de Winnipeg, o Festival de Folk de Winnipeg, o Festival de Música de Winnipeg, a Exposição de Red River e o Festival Internacional Infantil de Winnipeg.

Mantendo o ar cultural, é importante valorizar a mídia escrita de Winnipeg. A cidade possui dois jornais diários, o Winnipeg Free Press e o Winnipeg Sun.

Os destaques também são relevantes no mundo dos esportes. A cidade foi, por duas vezes, sede dos Jogos Pan-americanos. Pela primeira vez em 1967 e, pela segunda, em 1999. Estes últimos jogos foram considerados os mais bem organizados de todos os tempos.

A bela e moderna Winnipeg.

Edmonton

Hora da despedida de Winnipeg. Um voo de aproximadamente duas horas e o próximo destino da rota turística pelo Canadá é Edmonton.

Edmonton é a capital da província de Alberta. Com cerca de 935 mil habitantes é a segunda maior cidade de Alberta e o quinto maior município do Canadá. Em termos de metrópole, a região possui uma população de 1.320.000, a sexta maior do Canadá.

Situa-se no centro geográfico de Alberta, possui o parque mais longo do continente, localizado no vale do Rio North Saskatchewan.

Edmonton tem as quatro estações bem definidas, embora o tempo na cidade seja altamente instável.

O verão é relativamente quente, com temperaturas médias de 25°C e máximas de até 38°C. O inverno é frio, com médias de -17°C, máximas que variam entre -20 e 8°C e mínimas entre -5 e -45 °C. Pelo tempo instável, dias amenos em pleno inverno não são raridade.

A taxa de precipitação média anual de chuva é de 47 cm3 e a taxa precipitação média anual de neve é de cerca de 123 cm3.

No setor da educação, Edmonton dispõe de cerca de 200 escolas públicas, as quais recebem um total de 82 mil estudantes por ano.

Para suprir a busca pelo conhecimento, a cidade possui uma grande e bastante diversificada biblioteca central, bem como dezenas de outras bibliotecas menores em diversos bairros.

A Universidade de Alberta está localizada em Edmonton, do lado do vale do Rio North Saskatchewan. É a principal universidade da província e uma das mais reconhecidas do país, principalmente na área de pedagogia.

Apesar de ser um local encantador pelos seus inúmeros parques, esta etapa da viagem deve ter a duração máxima de um dia e meio. E o primeiro dia será todo reservado para os “passeios verdes”. Entre as centenas de parques, o principal a ser visitado é o vale do Rio Saskatchewan, protegido pelo município. Ali estão localizados campos de golfe, pistas de esqui e o Valley Zoo. É uma área gigante, por isso é válido planejar o passeio para que haja tempo hábil para as demais atrações do dia.

Outro parque interessante é o Northlands Park. Nele, grandes shows musicais, exposições, rodeios, eventos esportivos e comerciais são realizados.

O Gateway Park também deve ser colocado na lista. É um parque que contém um monumento em homenagem ao petróleo, produto que permitiu o rápido crescimento da província de Alberta e a tornou uma das mais influentes no Canadá.

Para apreciação da fauna do país, o Elk Island National Park é uma boa pedida.

Há dezenas de outros bons parques, como o Fort Edmonton Park, o William Hawrelak Park, o Rundle Park e o Coronation Park. O importante é fazer um bom planejamento para que seja selecionada a melhor rota e a estada por Edmonton seja prazerosa e sem correria.

Para a manhã do segundo dia, a sugestão é visitar um ou dois museus.

Edmonton possui um Museu Provincial – o Museum of Alberta, que trata sobre a História da Província de Alberta –, um Museu de aviação – o Alberta Aviation Museum – e um Centro de Ciências (Odyssium), cujo objetivo de promover e divulgar a ciência a estudantes em idade escolar.

Além disso, a cidade possui uma Orquestra Sinfônica, uma Associação Municipal de Ópera, e sedia a principal companhia de balé de Alberta, a Alberta Ballet Company.

Sempre é bom lembrar que a estadia é curta e a pré-seleção dos locais de visita é primordial para que a experiência seja inesquecível.

Muito verde e cultura em Alberta.

Vancouver

Bom, como o período da viagem pelo Canadá é de quinze dias e foi economizado algum tempo por Edmonton, haverá quatro dias e meio para curtir a última parada do roteiro turístico por terras canadenses, Vancouver. Enfim, o Oeste!

Vancouver é uma cidade portuária costeira no Oeste do Canadá, localizada na região de Lower Mainland, província de Colúmbia Britânica. É a cidade mais populosa da província e oitava mais populosa do Canadá. Também é uma das cidades mais étnica e linguisticamente diversas do Canadá.

Em termos climáticos, tem a reputação de ter tempo nublado e chuvoso, especialmente no inverno. Com um clima oceânico, tem, no inverno, a segunda mais alta temperatura média do país.

Em contrapartida, seu verão é um dos mais amenos do país. A baixa amplitude térmica, dentro das temperaturas mais amenas, se deve principalmente ao fato de a cidade estar localizada no litoral.

A cidade é servida pela Universidade da Colúmbia Britânica que, com seus 27 mil estudantes, é uma das maiores universidades do Canadá.

O bom senso diz que se deve tirar um cochilo de algumas horas para que os próximos quatro dias sejam percorridos sem cansaço, pois as andanças serão longas.

Talvez os passeios urbanos nesta etapa sejam a melhor ideia. Rodar pela cidade com uma mochila nas costas, uma garrafa d’água e um bom coturno é o programa.

Caminhar por North Vancouver, Coquitlam, Maple Ridge, Surrey, Richmond e Burnaby, vivendo cada canto gastronômico e cultural, vai exigir bastante sola de sapato, mas é compensador.

E falando em comida, por se tratar de uma cidade com enorme diversidade cultural, há uma vasta possibilidade de escolhas para os amantes da cozinha e do bom prato.

Os que mais se destacam são os restaurantes chineses e indianos, seguidos pelos gregos, italianos e mexicanos. Todavia, Vancouver não para só por aí e agrada qualquer paladar. É possível experimentar belos cardápios portugueses, franceses, ucranianos, árabes, panamenhos, vietnamitas, e por aí vai.

Agora, se o objetivo for provar algo típico canadense, as opções são diversas em ternos de carnes de caça, frutos do mar, pescados e com destaque para o salmão. Não viva Vancouver sem os seus maravilhosos pratos de salmão!

Durante suas andanças, faça paradas estratégicas em um ou outro foodtruck e se delicie com os lanches acompanhados do tradicional queijo Cheddar.

Para não perder a marca de aventuras naturais, não se pode deixar de conhecer: Cypress Provincial Park, Mt. Seymour Provincial Park, Pinecone Burke Provincial Park, Garibaldi Provincial Park, Golden Ears Provincial Park, Stanley Park, Pacific Spirit Regional Park, Queen Elizabeth Park, Deer Lake Park, Sea Island, Kirkland Island e Westham Island.

Como um dos destaques, pode-se citar o Vancouver Aquarium, dentro do Stanley Park, onde você terá a oportunidade de vislumbrar um pouco das características da fauna setentrional.

É claro que não haverá tempo suficiente para a visitação de todos os parques, por isso é sempre bom lembrar: planeje sua viagem para que ela seja prazerosa.

Termine a jornada épica Leste-Oeste pelo Canadá em um agradável pub de West End ou Beach Ave, apreciando o fantástico pôr do sol setentrional.

Vancouver é uma cidade para conhecer a pé.

Você já conhece o eTA visto para o Canadá? Agora ficou fácil viajar para o país. É rápido e o melhor, tudo online! Para mais informações, entre em contato com a eTA Canadá Visa.

Gostou do artigo? Então curta e compartilhe com seus amigos. Deixe seu comentário caso queira tirar alguma dúvida ou dividir conosco a sua experiência.

Topo