Tudo o que você precisa saber sobre o sistema educacional de Montreal

Posted in Educação

A educação em Montreal tem suas particularidades em comparação a outras cidades canadenses, tanto as maiores quanto as de menor porte. Isso se dá pelo fato de não haver no país um órgão que faça a supervisão ou padronize o sistema em todo o território nacional.

Logo, cada província tem suas próprias regras e modelos, embora a escolaridade seja obrigatória em todo o país e haja alguns pontos em comum em todas as instituições do Canadá.

Assim como no Brasil, as crianças e adolescentes canadenses frequentam a escola de segunda a sexta-feira. No entanto, a carga horária é de seis horas diárias. São cerca de 190 dias letivos no ano, com início em setembro e término no final de junho.

O recesso é fragmentado. Além do período de dois meses entre os períodos letivos, de uma a duas semanas são dadas durante as festas de final de ano. Entre fevereiro (SpringBreak) e março (MarchBreak), mais sete dias são cedidos aos alunos e professores. Os feriados municipais, provinciais e nacionais são respeitados, complementando os períodos de descanso.

Uma característica famosa da educação canadense é a sua alta qualidade e o reconhecimento no mundo todo. De todas as nações do G8, o país é o que mais destina verbas à pasta da educação. Suas escolas recebem estudantes de diversas partes do mundo desde a década de 80.

A partir de agora, conheça melhor o Sistema de Educação em Montreal, suas fases e as diferenças entre as escolas públicas e privadas.

Sistema de Educação em Montreal

A educação em Montreal e no Canadá é famosa por sua alta qualidade e por ter como prioridade formar cidadãos com capacidade de refletir. Foto: Klimkin

A educação escolar é obrigatória até os 16 anos de idade e a gratuidade é assegurada aos níveis fundamental e médio. No universitário, porém, os alunos precisam pagar a taxa de matrícula.

O primeiro contato da criança com a escola se dá nas creches, mas esse estágio não costuma ser incluído na educação oficial, pois não é obrigatório. Apenas aos quatro anos, quando há o ingresso no pré-primário, o aluno faz parte oficialmente do sistema de educação.

Saiba agora quais são as etapas posteriores:

  • Elementar
  • Ciclo secundário I
  • Ciclo secundário II – No término, o aluno recebe um certificado que o qualifica para ingressar em uma faculdade ou universidade.
  • Faculdade/universidade – As faculdades oferecem cursos em relação a uma área específica, como Direito ou Medicina, por exemplo. Já as universidades possuem um leque de opções mais amplo. Ambas são pagas, mesmo sendo públicas, e costumam cobrar preços menores para estudantes locais.

Mais adiante, você terá mais informações sobre cada uma dessas etapas.

Notas

A avaliação dos alunos é bem diferente, principalmente em comparação ao sistema educacional brasileiro. Até a sexta série, não há notas numéricas, e sim uma avaliação por escrito que diz respeito ao progresso do aluno. O relatório tem como parâmetro o grau estabelecido pelo Ministério da Educação da província.

Nas séries subsequentes, os alunos contam com notas de aproveitamento. Além de avaliar o desempenho nas mais diversas disciplinas, os conceitos ajudam a definir o futuro da vida escolar, no que se refere à instituição secundária a ser frequentada nos anos seguintes.

Isso funciona da seguinte forma: os alunos com notas mais altas são matriculados nas melhores escolas e, assim, têm mais chances de ingressarem nas faculdades ou universidades mais conceituadas.

Para passar de ano, é necessário ter um aproveitamento de no mínimo 60%. São três notas, através da qual se extrai a média em uma divisão por 3.

Etapas da educação

O currículo busca descobrir e aperfeiçoar as habilidades pessoais de cada criança. Foto: Raw Pixel

Como já visto no tópico anterior, a educação em Montreal tem algumas fases, que acompanham a faixa etária da criança e do adolescente. A seguir, você saberá como funciona cada uma delas de forma mais detalhada.

É importante mencionar uma particularidade que costuma ser aplicada para os filhos de imigrantes. Para as crianças que ainda frequentam a creche, há a possibilidade de escolher um estabelecimento que incentive o aprendizado de inglês ou francês, pois essa etapa costuma ser paga.

Entretanto, a partir do momento em que o aluno ingressa no sistema público de ensino, os filhos de imigrantes devem permanecer em escolas francófonas, uma vez que esse é o idioma dominante na província de Quebec.

Caso a criança não esteja adaptada aos idiomas do Canadá, permanece por um período nas chamadas classes de acolhimento. Nelas, o foco é o aprendizado do básico das línguas, até o aluno ter condições de frequentar as aulas regulares com o restante da turma.

Escola primária

Se caracterizapor ter um único professor que ministra todas as disciplinas, com exceção das especializadas, como música, educação física ou artes.

As escolas públicas são mantidas pelos impostos pagos pela população local. Outras atividades e serviços devem ser pagos à parte. Como a carga horária diária é alta, segue por toda a manhã e ocupa algumas horas da tarde, até às 15 horas.

A educação elementar tem a duração de cinco anos e a carga horária se estende por toda a manhã e parte da tarde. Foto: Shannon Anderson

Caso os pais não possam buscar os filhos no horário estabelecido, é possível deixá-los até às 18 horas na escola. Nessas horas adicionais, as crianças fazem outras atividades. O serviço também deve ser pago e a taxa é de aproximadamente 8 dólares canadenses por dia (equivalente a R$ 23).

A alimentação dos alunos também deve ser providenciada pela família. Os lanches e o almoço podem ser levados de casa ou fornecidos pela escola, mediante pagamento.

A fase primária vai até a sexta série no Quebec e começa aos seis anos de idade. Há uma tolerância para crianças que têm cinco anos, desde que completem seis até o dia 1 de outubro do primeiro ano do ensino elementar.

Durante a escola primária, os alunos estudam conteúdos tradicionais do currículo, como história, geografia, matemática, biologia, francês, entre outros. Há também algumas modalidades optativas, como música, teatro, esportes e artes marciais, dependendo da disponibilidade de cada instituição.

Um aspecto interessante da educação de Montreal e de todo o Canadá é que seu objetivo principal é aguçar o senso crítico do aluno. Por essa razão, diversas opções são dadas em todas as fases, para que a criança e o adolescente possam descobrir habilidades e desenvolvê-las com o passar dos anos.

No Brasil, entretanto, a educação é mais voltada em fazer com que os jovens tenham um bom desempenho no ENEM e no vestibular.

Ensino secundário

As aulas complementares envolvem artes, teatro e diversas modalidades esportivas. Foto: Keith Johnson

A etapa seguinte da educação em Montreal tem 5 anos de duração. Entretanto, caso o jovem tenha interesse em fazer um curso profissionalizante, pode deixar o curso a partir do final de seu terceiro ano, por volta dos 14 ou 15 anos de idade.

A primeira opção (estudar os cinco anos do secundário) dá ao aluno o DES (Diplôme d’ÉtudesSecondaires) qualifica para ingressar em um programa DEC (Diplôme d’ÉtudesCollégiales). Durante dois anos, o jovem faz o DEC pré-universitaire e só depois inicia sua vida em uma instituição de nível superior.

Ainda se pode fazer o DEC Technique por 3 anos, que qualifica o aluno em nível técnico, seguindo dessa forma ou com a chance de completar sua formação em uma universidade.

Outra possibilidade é fazer o DEP (Diplôme d’ÉtudesProfessionnelles) e, se julgar necessário, o ASP (Attestation de SpécialisationProfessionnelle). Ambos os certificados qualificam para ingressar no mercado de trabalho, mas, para chegar à universidade, é preciso ter uma das variações do DEC.

Já os adultos podem fazer um ano de AEC (Attestation d’ÉtudesCollégiales) e ter qualificação para seguir uma carreira. Alguns cursos universitários permitem a entrada de pessoas de mais idade, desde que o currículo esteja relacionado ao curso pretendido.

Vale a pena lembrar que se enquadram como adultos as pessoas que deixaram o sistema de educação de Montreal há 12 anos ou mais.

Em qualquer ciclo do Ensino Secundário, os alunos estudam o francês e o inglês, as línguas oficiais do Canadá, além de um idioma estrangeiro, como o espanhol. Também fazem parte da grade curricular história, matemática, física, química, biologia, tecnologia da informação, literatura, robótica, economia, ciência política, artes visuais e cênicas.

Diferentemente da etapa elementar, um professor especialista é responsável por ministrar cada uma dessas disciplinas.

Até este ponto do texto, foram abordadas apenas questões referentes ao ensino público que,apesar de ser majoritário, não é a única opção, pois as escolas particulares também são alternativas para as crianças e adolescentes de Montreal.

Educação privada

As creches, como já mencionado, geralmente são privadas, pois não estão incluídas no sistema de educação escolar do Canadá. Tanto as escolas públicas quanto as particulares são conhecidas por ter alta qualidade de ensino, como já dito, e preparar bem a criança ou o adolescente para o mercado de trabalho e para a vida.

Os preços das escolas privadas variam bastante. Para a educação elementar, a família costuma desembolsar CAD$ 12,5 mil por ano (cerca de R$ 36 mil). Já no ensino secundário, a anuidade é de aproximadamente CAD$ 14 mil (equivalente a R$ 40 mil).

Os valores podem ser mais altos de acordo com a localização e/ou reputação da instituição. Escolas em locais no centro da cidade ou nos arredores são mais caras, assim como as mais bem conceituadas.

As vagas para estudar nesses locais, inclusive, são bastante disputadas.

Uma boa parte das escolas particulares é religiosa, principalmente católica. O ensino religioso se faz presente, assim como as orações, missas e retiros religiosos.

Ainda é possível encontrar locais com orientação judaica ou muçulmana.

Geralmente, elas exigem o uso de uniforme, cujo valor oscila entre CAD$ 300 e CAD$ 500 (R$ 900 a 1500). Os pais também devem estar atentos para custos extras, como transporte e alimentação.

A educação privada é minoritária em comparação à pública, mas Montreal tem um percentual acima da média da América do Norte nesse quesito. Foto: WokandaPix

Apesar de serem minoria do total, as escolas privadas estão mais presentes na educação de Montreale de sua província, Quebec. Cerca de 30% dos alunos que frequentam essas instituições em toda a América do Norte estão na cidade. Sendo assim, pagar para ter um ensino de qualidade não é tão raro como se pode pensar em um primeiro momento.

Canadenses e residentes permanentes podem escolher entre as escolas públicas e particulares. Os pais com visto de trabalho ou estudo (para cursos que oferecem diplomas em universidades) também podem matricular seus filhos na rede pública.

Já quem não está nessa condição ou quem busca a cidadania do país não têm direito a educação pública, assim como os pais que fazem cursos de idiomas e que dão direito a apenas um certificado. Logo, a educação particular em Montreal é a única opção para as crianças e adolescentes dessas famílias.

Sendo assim, para que não haja transtornos no início da jornada no Canadá, é preciso planejar bem a escolha de uma escola, além de planejar o montante a ser gasto com pagamento de anuidades. Verificar também a linha educacional é importante para fazer a escolha correta.

Para matricular uma criança ou adolescente em uma escola em Montreal, tanto pública como particular, são exigidos os seguintes documentos:

  • Passaporte;
  • Vistos;
  • Carteira de vacinação;
  • Histórico escolar;
  • Comprovante de residência.

Algumas instituições ainda podem pedir o SIN (Social InsuranceNumber).

Você teve informações sobre a educação em Montreal e também em todo o Canadá. Teve noções sobre o sistema, avaliação, as etapas até chegar à universidade e a diferença entre a educação pública e privada.

Para ter mais informações sobre Montreal ou outras cidades canadenses, bem como dicas para sua viagem ao país, independentemente do propósito, navegue pelo blog. Você encontrará textos que resolverão eventuais dúvidas sobre itens como obtenção de visto, estudos, trabalho e turismo.

Em caso de dúvidas ou para relatar experiências sobre a educação em Montreal, deixe um comentário ou entre em contato através dos canais disponíveis.

Topo