Tudo o que você precisa saber sobre o sistema de saúde no Canadá

Posted in Eta Canada Blog, Saúde

O sistema de saúde no Canadá é considerado um dos melhores que existem, mesmo assim, quem pretende mudar-se para o país tem suas incertezas e questões. Como é bem diferente do Brasil, são muitas informações novas para assimilar, por isso, acompanhe este artigo para  entender um pouco mais sobre o assunto.

Sistema de Saúde no Canadá: como funciona?

É importante o estrangeiro saber como é a questão de atendimento no Canadá antes de ir para lá, até para não correr o risco de ficar vagando por uma emergência sem saber como proceder em determinadas situações.

Cada província ou território tem suas regras

Todos os planos de saúde canadenses, chamados de Health Insurance Plans, são conduzidos pelas províncias do país. Cada localidade tem autonomia para estabelecer suas regras, formas de adesão, hospitais e planejamento que achar mais pertinente. Algo em comum a todas as províncias é que nem todos os procedimentos são pagos pelo governo.

British Columbia

O plano do governo é o Medical Services Plan (MSP). A cobertura é concedida a todos os cidadãos canadenses, imigrantes, refugiados monitorados pelo governo, estudantes com permissão de estudos válida por seis meses ou mais e trabalhadores temporários com autorização de trabalho válida por seis meses ou mais.

Mesmo sendo público, o MSP não é gratuito. Os valores diferem de acordo com o número de pessoas da família. Para um casal, por exemplo, o seguro saúde custa 75 dólares canadenses, 37,50 para cada um. O mais indicado é cadastrar-se no plano assim que chegar em BC, pois pode levar até três meses para o cartão ser disponibilizado. Nesse meio tempo, sugere-se que você contrate um plano de saúde particular, para ficar amparado nesse período.

O MSP também não cobre exames físicos de rotina que não tenham utilidade médica, como  exames para certificados e testes de seguro de vida, carteira de motorista, escola, imigração ou emprego. O plano do governo não sobre cirurgias plásticas estéticas, dentistas, oftalmologistas, remédios, aparelhos auditivos, psicólogos, quiropraxia, massagem terapêutica, acupuntura, exames preventivos sem evidência clínica e ambulâncias.

Se você optar pelo MSP, precisa registrar-se no site da empresa e preencher um formulário on-line. Depois, enviar para o endereço do local com cópia do seu passaporte, visto de estudo ou trabalho e cópia do papel recebido na imigração canadense. O endereço da MSP é Health Insurance BC/ Medical Services Plan/ PO Box 9678 Stn Prov Govt/ Victoria BC V8W 9P7.

Ontario

Aqui, o plano de saúde canadense chama-se Ontario Health Insurance Plan (OHIP) e é gratuito. Nesta província, os estudantes internacionais não estão assegurados pelo sistema, portanto, é necessário contratar um seguro privado. A única exceção é se o estudante está acompanhado de um cônjuge que tem um vínculo empregatício de tempo integral.

Nessa situação, o cônjuge precisa informar o nome do empregador, ocupação e uma confirmação de que irá trabalhar por, no mínimo, seis meses. Se as informações forem aprovadas, o cônjuge pode usufruir do plano e colocar a outra pessoa como dependente.

Em Ontario, o cartão do plano de saúde pode demorar até três meses, então, é bom se organizar e ter um plano b caso precise de atendimento médico. O OHIP cobre consultas médicas, exames oftalmológicos, emergências em hospitais e a maioria das cirurgias. Entretanto, cirurgias estéticas e outros procedimentos considerados desnecessários são descartados.

Para registrar-se no OHIP é preciso ir até o Service Ontario com os documentos necessários. As documentações exigidas estão disponíveis no site Settlement.  

Manitoba

O seguro saúde também é gratuito nesta província. Todavia, desde março de 2018, o Manitoba Health Service Insurance Plan não é mais ofertado para estudantes estrangeiros, incluindo cônjuges e filhos. As ressalvas são para estudantes com permissão de trabalho de, no mínimo, doze meses e crianças nascidas de estudantes internacionais enquanto permanecerem no Canadá.

Em Manitoba o seguro começa a valer depois de três meses de residência na província. Para se registrar, é preciso preencher o formulário disponível no site do governo, separar a documentação solicitada e encaminhar para o Registration and Client Services Manitoba Health, Seniors and Active Living.

Esse seguro saúde no Canadá não cobre exames para trabalho, carteira de motorista, seguro, viagem e imigração, serviços que não foram a pedido médico, remédios, vacinas, ambulâncias, enfermeira pessoal, psicólogos fora do ambiente hospitalar, fonoaudiólogos, terapia ocupacional, acupuntura, entre outros.

Quebec

O sistema de saúde também é de graça e alguns estudantes estrangeiros têm direito a usufruir do mesmo. São eles: Bélgica, Dinamarca, Finlândia, França, Grécia, Luxemburgo, Noruega, Portugal, Romênia e Suécia. Pode acontecer de algumas consultas serem pagas, porém, o atendimento particular e público é realizado no mesmo local. Serviços de odontologia e tratamentos estéticos não entram no plano pago pelo governo. Embora seja uma das províncias que têm a maior cobertura.

Quebec oferece tratamentos para fertilidade, medicamentos e alguns procedimentos dentários Fonte: Google

Médicos são autônomos e não funcionários do governo

O Canadá possui um sistema de saúde público, mas a maior parte dos médicos não trabalha para o governo, e, sim, de forma independente. Os pacientes podem escolher qual médico desejar, tendo direito aos serviços de saúde básicos que são custeados pelo governo.

Os médicos optam por sua carga horária e aonde irão trabalhar. No entanto, são responsáveis por pagar seus funcionários, consultórios e demais despesas. Os honorários são pagos pelo governo provincial, onde prestam os seus serviços.

O serviço de saúde no Canadá é visto como uma medicina socializada, pois funciona com base no trabalho de funcionários que prestam serviços para os órgãos públicos.  

Médico de família

Essa especialidade é destina pela atenção integral à saúde. No Canadá, esse é o médico para consultar quando você não está muito bem, mas não em caráter emergencial. Quando isso acontecer, o atendimento deve ser feito no hospital. É o médico que conhece o seu histórico, faz exames regularmente e encaminha para especialistas, quando preciso.

Ter um bom médico de família é sinônimo de que ele irá encaminhar você para os melhores especialistas e, consequentemente, terá um diagnóstico preciso. Contudo, se ele achar que não é necessário um encaminhamento, você poderá ficar sem tratar alguma coisa que esteja errada.

Se, por acaso, você não tiver um médico de família, a dica é ir em uma Walk-in Clinic, uma clínica que aceita pacientes sem horário marcado. Se você gostar do médico, pode dizer que ainda não tem um médico de família e perguntar se ele está aceitando novos pacientes. Também é possível pesquisar em sites que dão notas para os médicos e procurar por algum que seja de família.

Não existe pagamento direto para os médicos

Nenhum atendimento pode ser cobrado pelo médico para o paciente. Por exemplo, pagar para ter prioridade em uma consulta ou cirurgia não existe. Em algumas províncias, o médico pode cobrar uma taxa por consultas perdidas, atestados médicos e prescrição de remédios feitas por telefone. No caso, essas opções são válidas, pois o médico não recebe pagamento da província por esses serviços em específico.

O sistema de saúde se comunica com o sistema de farmácia

A compra de remédios no Canadá fica propensa a uma monitoria, onde o seu histórico pode ser puxado em uma consulta ou na apresentação de uma receita. Quem precisa de medicamentos de uso contínuo, independentemente da dosagem, fórmula ou finalidade, os mesmos serão de acordo com a receita médica, na quantidade especificada. Na retirada seguinte, ocorre da mesma forma.

Lembre-se que o sistema de saúde no Canadá exige que você passe pelo médico para obter receitas.

Centros comunitários e estrangeiros

Quando você estiver no Canadá e mais entrosado com o bairro que irá morar, certamente, vai começar a perceber a presença dos centros comunitários de atendimento à saúde. É importante estar ciente da localização do centro mais próximo de você, caso seja necessário utilizá-lo, mesmo que tenha cobertura particular de algum plano.

O atendimento a estrangeiros costuma ser muito bom, respeitoso e eficiente, sempre prezando pelas necessidades pontuais do paciente e, muitas vezes, sendo esse atendimento suficiente para o problema em questão.

Medicamentos e consultas odontológicas geralmente não são cobertos pelo sistema

As províncias e territórios disponibilizam cobertura para medicamentos e dentista para alguns grupos, como idosos, crianças e residentes de baixa renda. Normalmente, esses itens não são cobertos pelo sistema de saúde pública. Os benefícios de saúde suplementar incluem medicamentos prescritos fora dos hospitais, cuidados dentários, de visão, equipamentos médicos e aparelhos e serviços de outros profissionais da saúde, como fisioterapeutas.

O grau de cobertura varia de uma província para outra, mas quem não se qualifica para usufruir desses benefícios precisa pagar particular ou contratar planos de seguro-saúde privados. Grande parte dos canadenses, por meio dos seus empregadores, podem ser cobertos por um seguro-saúde privado. O nível de cobertura é com base no plano escolhido.

Gestantes

O atendimento às gestantes no Canadá também é gratuito, um alento para quem está longe do seu país de origem. Por mais que exista uma grande diferença entre os procedimentos no Canadá, em comparação com o Brasil, alguns aspectos são relevantes:

  • Teste de gravidez de farmácia: no Canadá, os testes de farmácia são muito utilizados, pois existe um incentivo de que, se a mulher desconfiar que está grávida, primeiramente fará um desses testes disponíveis. Ao contrário do que acontece no Brasil, onde são feitos exames de sangue, ultrassom, urina ou de toque, como uma segunda confirmação da gravidez, no Canadá, as outras opções não são prioritárias, já que o exame de farmácia é considerado suficiente;
  • Ultrassonografia: a quantidade de ultrassonografias é bem reduzida, elas são feitas apenas em períodos que são cruciais para a formação do bebê. Se, durante o acompanhamento, estiver tudo bem, não há necessidade de mais exames de imagem. Ao todo, são três ultrassonografias ao longo da gestação. Se os pais tiverem condições e quiserem pagar particular, podem fazer mais.

Durante o pré-natal, os pais são preparados para serem mais confiantes e distinguir quando o bebê realmente necessita de atendimento médico. É com doze semanas que o atendimento pré-natal inicia no sistema de saúde. Não é incomum que enfermeiras tenham o primeiro contato com as mães. Mesmo assim, todas as dúvidas são tiradas, tanto da mãe quanto da enfermeira.

Os pais confirmam o seu direito de poder escolher o médico que os atenderá durante a gestação e recebem os materiais para estudar em casa. A ideia é que tudo transcorra bem, por isso, os cursos oferecidos para os pais são para tomar as melhores decisões até a chegada ao hospital. Atendimento telefônico, treinamentos para monitorar as contrações e vídeos mostrando o processo do parto são divulgados gratuitamente.

Quase sempre, os pais escolhem o hospital para a realização do parto, mas não o médico.

O sistema de saúde no Canadá, para muitos, é caracterizado como sendo eficiente, simples e impessoal. Os profissionais são bem qualificados, a tecnologia é de ponta e os hospitais são conceituados. O atendimento é direto, pois os médicos não prescrevem muitos exames, medicamentos e nem cobram retornos.

Os médicos, em sua maioria, podem ser mais frios, por conta do profissionalismo. A barreira entre médico e paciente é muito nítida: você não terá o contato dele caso apareça alguma dúvida, não conversarão amenidades, nem saberá qual o perfil das redes sociais de cada um, e muito menos passarão horas em consulta. O importante é se ater à eficácia do atendimento e entender que esse ponto é um pouco diferente do Brasil.

O sistema de saúde no Canadá te surpreendeu? Deixe nos comentários como foi a experiência na sua província!

Topo