Por que morar em Vancouver é um ótimo negócio?

Posted in Cidades, Eta Canada Blog

Muitos brasileiros que estão indo ao Canadá para estudar ou trabalhar vêm escolhendo morar em Vancouver. E os motivos são os mais variados.Afinal, trata-se de uma das melhores cidades do mundo para se viver.

A ótima qualidade de vida da cidade passa pela segurança oferecida nas ruas, um ótimo sistema de transporte e parques agradáveis para curtir o lazer. Além disso, há um custo de vida mais baixo e um inverno de menor intensidade, se compararmos a outras grandes cidades do país.

Vancouver é muito bonita. Possui praias, lagos e montanhas que costumam receber muitos visitantes no verão. A natureza foi muito generosa com a cidade. Aliás, toda a província de British Columbia, onde ela se encontra, é linda.

Quer conhecer mais a fundo essas e outras vantagens de se morar em Vancouver? Confira, então, este artigo especial sobre esse lugar multicultural que respeita cada um de seus imigrantes.

Qual lugar de Vancouver é melhor para se morar?

Há quem diga que qualquer região é boa para se morar em Vancouver. A escolha de uma localidade vai depender mesmo do motivo pelo qual você está indo e do quanto está disposto a pagar. Veja alguns locais:

Downtown

Downtown é o centro de Vancouver, onde se encontram muitas escolas de inglês, faculdades e um comércio movimentadíssimo. O bairro também oferece passeios de barco, pubs, galerias de arte moderna e pistas de patinação.Como na maioria das cidades cosmopolitas, a região central tende a ser mais cara para se morar.

As regiões que circundam Downtown são: West End, Yaletown, Gastown e Coal Harbour. São bairros próximos entre si, possibilitando cruzá-los a pé. Mas se você não for adepto da caminhada, poderá circular por eles com bicicleta ou ônibus.

West End costuma receber boa parte da comunidade gay que vive na cidade. É um bairro mais popular e localiza-se entre a praia de English Bay e o centro. Está cercado por bares e restaurantes. Uma grande área arborizada e banhada pelo Pacífico chamada Stanley Park completa o cenário.

Yaletown já possui restaurantes de luxo. Boutiques, discotecas, comércio agitado e muitas opções de lazertambém fazem parte do local. Além de possuir acesso àmarina False Creek, que fazdessa área um parque infantil para a elite de Vancouver. Morar em Yaletown costuma ser mais caro.

Gastown é a região mais antiga da cidade, sendo este um dos bairros mais charmosos. Os visitantes aproveitam seu cunho histórico para turistar durante o dia. Alguns dos melhores restaurantes, bares e lojas da cidade também podem ser encontrados no bairro. É mais barato morar em Gastown do que em Yaletown, por exemplo.

Coal Harbour é uma região onde se concentram muitos trabalhadores mais velhos e aposentados, sendo uma área nobre com condomínios de prédios altos e modernos próximoà marina.

Kitsilano

Kitsilano abriga muitos jovens e estudantes e está próximo às praias Kits Beach e Jericho Beach. É um dos bairros mais tranquilos da cidade e ainda oferece estúdios de ioga, mercados orgânicos e cafés.

O valor do aluguel costuma ser caro no entorno de Kits Beach, diminuindo à medida que avançamos para a West Broadway Street. Quem desejar morar em Vancouver, mais precisamente em Kitsilano, deverá se atentar à grande variação de preço existente naquela área específica.

Rua de Kitsilano, um dos bairros mais tranquilos para morar em Vancouver.

North Vancouver

Trata-se de uma região econômica para se morar. É conhecida como ideal para estudantes de inglês que procuram uma home stay devido ao menor número de prédios. Dispõe de fácil acesso para as montanhas North Shore, local propício para pedalar e fazer snowboard.

O grande problema é que está longe do centro e sem acesso via metrô. Na verdade, é necessário pegar uma balsa para se chegar a North Vancouver.

South Vancouver

Esse é um bairro mais indicado para famílias, com opções de moradia mais amplas e poucos bares e restaurantes. Está bem servida de transportes públicos.

Kerrisdale

Kerrisdale possui acomodações a preços acessíveis e é uma área popular entre os estudantes da Universidade de British Columbia pela proximidade com o campus. Está distante cerca de 30 minutos do centro por meio de transporte público.

Burnaby

Burnaby, na realidade, é uma cidade que faz fronteira com Vancouver. Ela fica a leste na região metropolitana, mas não é longe de Downtown. A boa notícia é que a cidadezinha é mais barata, oferece ótimas opções de transporte público, possui um grande shopping center está conectada ao metrô, conhecido como SkyTrain.

Como é o sistema de transporte de Vancouver?

Uma das coisas boas de se morar em Vancouver é poder desfrutar de um sistema maravilhoso de transporte público.

O transporte integra toda a região chamada de Metro Vancouver, ou seja, Vancouver e as cidades adjacentes. A Translink é quem administra todo o transporte público da cidade, que possui um sistema integrado que conta com ônibus, metrô (SkyTrain) e uma rede de barcos (Seabus).

Além dessas opções, ainda temos o West Coast Express, um trem que transporta para o trabalho, e vice-versa, os cidadãos que moram mais distante do centro de Vancouver. Ele funciona apenas durante a semana.

A pontualidade dos ônibus e a quantidade de trens do metrô disponíveis durante o dia são dignos de elogios. O Seabus faz a ligação da cidade de Vancouver com North Vancouver em uma travessia de cerca de 15 minutos.

A estação do centro de Vancouver (WaterFront Station) faz integração com ônibus, SkyTrain e West Coast Express.A estação de North Vancouver (LondsdaleQuay) tem um terminal de ônibus que conecta toda a região.

Dispondo do CompassCard, cartão utilizado para pagar o transporte, será possível usar quantas vezes quiser qualquer tipo de meio de locomoção público, de acordo com o tipo de plano adquirido por conta dos deslocamentos a serem utilizados.

Grande parte da linha metroviária de Vancouver é externa, por isso o nome SkyTrain.

O inverno é realmente rigoroso?

O inverno em Vancouver pode ser classificado como menos rigoroso do que se imagina. Temperaturas negativas podem acontecer a qualquer dia dentro dessa estação do ano, mas sua média costuma variar entre 0ºC e 6ºC. O frio de Vancouver, por ser menos intenso, abre um leque de novas atividades e passeios para fazer. 

Ou seja, é possível encontrar dias com 10ºC de temperatura, contrariando a visão que temos que todo o Canadá é congelante. Toronto, por exemplo, costuma ter no inverno temperaturas mínimas entre -30ºC e 0ºC.

Com relação à neve, não é tão comum ocorrer como em outras cidades canadenses. Mas há anos que ela resolve aparecer com vontade. Saiba, também, que Vancouver é famosa por chover bastante durante todo o ano. Os dias entre os meses de dezembro e fevereiro escurecem mais cedo, como é comum nessa época.

E se você vai morar em Vancouver e mesmo assim achou a temperatura média da cidade no inverno fria, saiba que no verão as máximas variam entre 20ºC e 30ºC.

Quando a neve resolve embelezar o inverno de Vancouver.

Vancouver é uma cidade segura?

Sim. Com certeza, essa é uma das situações que mais agradam o brasileiro quando ele decide viver no Canadá. E a cidade de Vancouver oferece total segurança, independentemente da hora do dia.

É muito comum ver relatos de brasileiros que costumam caminhar pelas ruas da cidade à noite, e até de madrugada, sem receio de que algo possa acontecer. Inclusive pessoas que carregam consigo aparelhos eletrônicos, como celular e notebook.

Mas vale frisar que é possível haver alguma violência, até mesmo em locais tranquilos. E isso serve para todas as cidade e países que possuem um baixo índice de criminalidade.

Os raros episódios nesse sentido que ocorrem em Vancouver não envolvem armas de fogo ou objeto cortante. São coisas do tipo “bater carteira” ou quebrar um vidro de um carro para pegar algo no interior do veículo.

Nada como evitar carregar o celular em bolsos de casaco, deixar pertences visíveis na bolsa ou mochila, deixar o banco do carro livre de objetos, enfim… conhecendo bem a região, com certeza esses cuidados poderão até ser desnecessários.

Polícia de Vancouver nas ruas.

Vancouver é uma cidade com muito verde?

Como já citado, Vancouver possui uma natureza exuberante. Há muitos parques arborizados por todo seu território.

Não há como falar dessa incrível cidade canadense sem citar o Stanley Park, localizado no centro e que abriga o concorrido Vancouver Aquarium, casa de muitos animais marinhos. São mais de 70 mil espécies, sendo o maior do gênero no Canadá.

O parque é admirado por ser maior que o famoso Central Park, em Nova Iorque. É dotado de florestas, sendo o local mais indicado para a prática de esportes ao ar livre, incluindo pedalar por suas trilhas em meio ao verde.

Hátantos outros parques dentro e nos arredores da cidade. Além de muitas montanhas maravilhosas. O hábito de fazer trilhas (hiking) e atividades outdoor faz parte da cultura dos cidadãos de Vancouver

Se você gosta de natureza deverá fazer uma visita de teleférico,atravessando uma bela floresta, a Grouse Mountain.O lugar oferece uma visão panorâmica de toda a cidade e está a apenas 15 minutos do centro.

No verão, pode-se caminhar pelas trilhas e arriscar uma tirolesa por entre as árvores. Já no inverno a boa é curtir suas pistas de esqui e de patinação no gelo.

E as opções para aproveitar o verde da cidade não param por aí. O Capilano Suspension Bridge & Park esconde uma ponte suspensa de 137 metros de comprimento e 70 metros de altura sobre muitas árvores e sobre o rio Capilano.

Isso tudo sem contar as praias, as piscinas públicas, as montanhas e tudo o que faz dessa cidade um lugar dos mais agradáveis para curtir a natureza.

O belo Rose Garden, no Stanley Park.

A vida de Vancouver é muito cara?

Morar em Vancouver, assim como em qualquer outra cidade do Canadá, requer alguma reserva financeira. Mas fique sabendo que o custo de vida não é tão cara assim se comprarmos com outros lugares do país, e até mesmo com capitais brasileiras, como São Paulo e Rio de Janeiro.

O aluguel de um apartamento pode ser comparado com as cidades citadas acima. E, mesmo morando em um bairro mais distante, você terá todo conforto de um sistema de transporte público que funciona, segurança garantida e uma ótima infraestrutura.

Dentro da média para se viver fora do centro da cidade, o custo mensal é de CAD$ 1.200 para apartamentos de um dormitório. É possível encontrar apartamentos semi mobiliados custando CAD$ 1 mil mensais próximo a transportes públicos, shopping e escolas. Já em Downtown, pode-se gastar até CAD$ 1.400.

A energia elétrica tem custo em torno de CAD$30 e 40 por mês. Os apartamentos geralmente incluem aquecimento e água. Em média, gasta -se cerca de CAD$ 71 com as contas gerais para uma moradia de 85m² segundo a Numbeo, órgão que avalia o custo de vida em diversos países.

Se você não fica sem TV a cabo e internet, terá de desembolsar algo em torno de CAD$ 75 mensais. A tarifa para o transporte público fica entre CAD$ 2,75 e CAD$ 3,15. Para quem utiliza o passe mensal do sistema integrado, esse valor pode variar de CAD$ 91 a CAD$ 124.

Os gastos com supermercado e alimentação dependem muito de cada pessoa, casal ou família, claro. Tomando apenas por base, podemos dizer que esses números variam entre CAD$ 280 e CAD$ 520. Almoçar em um restaurante com preço acessível sai em torno de CAD$ 15.

A academia, tão importante para muitos de nós brasileiros, gira em torno de CAD$ 50 a mensalidade.

O aluguel também costuma ser o vilão do custo de vida em Vancouver.

Como é a comida de Vancouver?

Se Vancouver é uma cidade cosmopolita, logo concluímos que há opções gastronômicas do mundo todo. Há restaurantes franceses, portugueses, gregos, chineses, indianos, mexicanos, japoneses, italianos, coreanos, africanos,americanos e brasileiros.

Os restaurantes takeouts e os foodcarts são praticamente exclusividade dos chineses e indianos. Seguidos pelos gregos, italianos e mexicanos.

Pensando mais na cozinha local, Vancouver possui um gosto voltado para pesca, frutos do mar e carnes de caça, tendo o salmão defumado como especialidade. O queijo cheddar também é característico da cidade.

Para os fãs de pizza, é possível encontrar uma pizzaria em cada esquina de Vancouver.Uma fatia custa, em média, CAD$2.

Mas se você vai morar em Vancouver e não dispensa uma boa comida brasileira de vez quando, saiba que os restaurantes brasileiros servem o tradicional feijão com arroz, feijoada, churrasco e até a nossa querida coxinha.

O tradicional Smoked Salmon Candy, no canto inferior esquerdo da foto.

Conheça as diversas opções de restaurantes em Vancouver

O Canadá conta com imigrantes de todas as partes do mundo, por isso não há ingredientes específicos da cultura canadense, deixando um leque enorme de opções. E é por esta razão que as comidas estrangeiras não costumam ser caras como é no Brasil.

Em Vancouver há um bairro chamado Chinatown, que possui restaurantes chineses com preços que variam de CAD$ 5 a CAD$ 10.

Para as pessoas que procuram manter a alimentação saudável ou iniciar uma, Vancouver conta com dois ótimos restaurantes saudáveis e baratos, o Saj&Co,  um restaurante da gastronomia libanesa, com ingredientes e pratos saudáveis, a partir de CAD$ 6 e o Freshii, onde a pessoa pode montar a salada sem glúten, com ingredientes frescos, proteínas saudáveis e low carb, pagando menos de CAD$10.  

Além dos saudáveis, vale testar um restaurante francês com preços a partir de CAD$6, chamado Trafiq, que conta com chás, cafés, pães e bolos frescos o dia todo.

Em Vancouver, não é preciso ir até o oriente para provar a gastronomia típica asiática, pois na Robson Street fica o restaurante Hons Wun-Tun House, com uma média de CAD$9,50. Inclusive, um dos pratos típicos é o mix de camarões e arroz crocante que custa CAD$8,50.

Normalmente, o fast food é a opção mais barata na maioria dos lugares, e em Vancouver não é diferente, os hambúrgueres na Wally’s Burger custam CAD$3 e na The Red Onion custam CAD$6.

Com essas opções é possível experimentar várias gastronomias em uma cidade só, e a melhor parte é que são baratos.

Como é o mercado de trabalho em Vancouver?

Vancouver possui grandes oportunidades de emprego. Isso acontece devido à localização da cidade e ao Porto de Vancouver, que é o maior do Canadá e da costa oeste da América do Norte.

A indústria do petróleo no país, que sempre abriu muitas portas para trabalhadores internacionais, está enfrentando problemas devido a crise mundial, mas isso não elimina o fato de Vancouver ser um ótimo centro de atividades e oportunidades de negócios. As tendências e oportunidades de negócios são diversas.

Segundo o WorkBC — um site do governo da província de British Columbia que procura explicar aos empregadores e empregados mais sobre a economia e as profissões da região — o setor de gás natural tem crescido juntamente com as pequenas empresas, que representam cerca de 4/5 do total dos empregos existentes. Além disso, a indústria varejista, principalmente em Vancouver, tem mostrado grandes possibilidades de emprego.

O site do WorkBC oferece, inclusive,  diversas ferramentas para quem está interessado em um emprego ou em definir sua carreira.

A área de turismo também é um bom negócio na cidade, visto que Vancouver possui diversos pontos interessantes para conhecer e uma grande quantidade de visitantes. Porém, nesse caso, é importante ter o domínio da língua inglesa e, além disso, conhecer bem os pontos de interesse para apresentá-los da melhor forma para os turistas.

O polo tecnológico também não fica pra trás. Grandes empresas da área como IBM, Microsoft e Intel possuem unidades de operação na cidade.

A melhor forma de encontrar um bom emprego em Vancouver é pesquisando, de fato, em sites desse segmento. O WorkBC é uma ótima forma de começar.

O Immigrant Services Society of BC, uma associação especial para imigrantes, também pode ser uma ótima opção, já que se preocupa em auxiliar recém chegados no mercado de trabalho da região.

Como é a educação em Vancouver?

O sistema de educação canadense não é monitorado por um órgão federal como ocorre no Brasil com o Ministério da Educação. Por lá, cada província possui uma forma diferente de lidar com isso.

A escolaridade acaba por ser obrigatória em todas as províncias, mas a idade dessa obrigatoriedade pode variar, podendo iniciar aos 5 ou 7 anos e sendo obrigatória até os 16 ou 18 anos. Na província de British Columbia, a obrigatoriedade vai dos cinco aos dezesseis anos.

O Instituto Fraser, que é responsável por qualificar e recomendar as melhores escolas do Canadá, é uma ótima forma de encontrar o melhor lugar para estudar ou matricular seu filho.

Vancouver possui diversas escolas públicas que são gratuitas mesmo para expatriados e para aqueles que possuem visto de trabalho, por exemplo. Geralmente, a escolha do colégio depende da área de captação de determinada escola, portanto, é importante ficar atento à localização onde pretende morar.

Além disso, existem também as escolas privadas, que são gerenciadas de forma independente e possuem inscrição seletiva.

Há também uma série de escolas internacionais em Vancouver que permitem que os expatriados continuem a educação do país de origem.

A região também possui ótimas universidades, como a Universidade de British Columbia, que está entre as 40 melhores universidades do mundo.

O que fazer em Vancouver?

Vancouver possui diversas atrações incríveis para curtir sozinho, com a presença da família ou amigos. Grande parte dessas atividades são gratuitas e ao ar livre.

Ir aos parques é uma das melhores opções de lazer em Vancouver por causa da variedade que existe – são mais de 200 parques – e pelas atividades que eles oferecem. Um deles é o Stanley Park, o maior parque urbano do Canadá e o terceiro maior da América do Norte, com 8.8 km de mar beirando a costa.

As principais atividades são andar de bicicleta, assistir cinema ao ar livre durante o verão, andar de mini-trem, nadar na piscina pública com vista para o mar, ir na praia ao lado chamada English Bay Beach, jogar golf, ir nos restaurantes, no aquário e apreciar o pôr do sol.

Além dos parques, Vancouver possui diversos lugares famosos com diversas lojas para fazer compras. Uma dessas ruas é a Robson Street, que fica em uma das extremidades do Stanley Park. A rua conta com lojas como Zara, Sephora, Nike, Adidas, Gucci e Tiffany & Co, e outras, além da ótima gastronomia como Milestone, Zeffereli’s Spaghetti Joint, Forage e Tavola.

Não só de parques, lojas e comida vive o homem, e é por isso que Vancouver oferece diversas baladas para quem quer curtir a noite. As mais visitadas são a Republic e a The Roxy, além do Cambie, um pub com mesas de jogos, música, comida e muita bebida.

Por que viver em Vancouver com a família?

O Canadá está no ranking de melhores países para viver com a família, baseado nos benefícios e ajudas que governo oferece para as mães, pais e filhos.

O Canadá possui uma das licenças maternidades mais longas do mundo, somando 18 meses de licença. Além disso, caso os pais estejam trabalhando, o governo arca com uma parte do salário, porém, o valor máximo pago é de CAD$547, independentemente do salário.

Em relação aos estudos, as melhores escolas são públicas e com ensino de qualidade. O transporte escolar é o ônibus, que em muitos casos não é necessário pagar.

A cidade conta com municípios vizinhos que estão interligados e são tão próximos uns dos outros que parece uma cidade só, por isso há muitas opções de onde morar com diversos orçamentos. Um fator que contribui para ser uma cidade referência para morar é o transporte público, que é muito eficiênte, além do clima, que é mais ameno.

Uma das cidades procuradas pelas famílias na grande Vancouver é Richmond, isso porque Richmond possui uma grande variedade de restaurantes, ótimas escolas públicas, particulares e bons hospitais.

Vancouver ainda conta com diversos parques para ir com a família, como Stanley Park que faz eventos e apresentações para as crianças.

Como funciona a saúde pública em Vancouver?

Entender como funciona o sistema público de saúde de Vancouver é essencial para quem está pensando em se mudar para a cidade. A saúde pública em British Columbia tem o sistema MSP (Medical Services Plan), todo cidadão canadense ou residente permanente tem acesso ao MSP. Além deles, os estrangeiros que possuem o student visa ou work permit com validade superior à 6 meses também têm direito a usar esse sistema.

O curioso é que ter acesso ao MSP não é um benefício do governo, como acontece no Brasil, e sim, uma exigência do governo canadense.

Apesar de ser um sistema público, existe uma taxa mensal para ter acesso: CAD $75/ mês para 1 pessoa, CAD $136/mês para uma família de 2 pessoas e CAD $144/mês para uma família de 3 ou mais pessoas.

Parece errado, mas é muito parecido com o SUS (Sistema único de Saúde) do Brasil, a diferença é que o SUS é sustentado pelos impostos pagos pela população e o MSP também é bancado pela população, mas através dessa taxa e não em forma de impostos.

O MSP cobre desde acesso à médicos clínicos gerais, exames, até cirurgias e hospitais. O sistema não cobre cirurgias cosméticas, remédios, terapias alternativas (massagem, acupuntura, etc) e consultas com dentistas, oculistas e psicólogos.

Há também o Walk-in Clinic, um posto de saúde, em que os pacientes são atendidos sem precisar agendar as consultas. Os médicos que atendem nesses postos são clínicos gerais, recorridos em casos que não são emergência. Já o Family Doctor, são lugares que os clínicos gerais atendem as pessoas durante toda a vida e encaminham para outros médicos e exames quando necessário.

Agora que você está pronto(a) para viajar para Vancouver com essas dicas incríveis, conte para a gente como estão os preparativos. E se você já está na cidade, compartilhe suas experiências por meio dos comentários.

View Post (AMP)

Topo