Advogado no Canadá: como exercer minha profissão no país

Posted in Emprego, Eta Canada Blog

O que é preciso para exercer minha profissão?

Mudar de país e continuar exercendo a mesma profissão desempenhada no Brasil é uma excelente maneira de adaptação, além de minimizar o desconforto inicial por falta de trabalho. Ser um advogado no Canadá é possível, embora seja necessário fazer alguns ajustes.

Atuar em um país estrangeiro, independentemente da profissão, tem as suas exigências. Foto: Espart Graphic

Cada etapa será explicada mais adiante. Como é de praxe, há a validação do diploma, para que possa ser usado como comprovação de estudos no Canadá. Também não se pode esquecer-se do idioma e de outros pontos.

A falta de oportunidades não chega a ser assustadora, pois a demanda por profissionais da área de Direito é crescente. Um advogado com bom currículo pode encontrar diversas vagas e construir uma carreira sólida no país.

Diferentemente do Brasil, onde a lei é a mesma em todo o território, cada província no Canadá tem autonomia para definir sua própria legislação. No entanto, todas elas têm algo em comum: a base nas tradições inglesas, com o uso do common law (direito comum). Apenas Quebec, inspirada no direito civil da França e com o sistema jurídico romano-germânico, é exclusiva nesse aspecto.

A Federation of Law Societies of Canada determina que os advogados atuantes no país sejam membros de uma associação em sua província. Assim, é possível regulamentar a atividade do profissional, seja ele local ou estrangeiro.

A seguir, você confere cada etapa necessária para que um brasileiro possa ser um advogado no Canadá.

Validação do diploma

Esse passo é trabalhoso, mas essencial para conseguir o registro da profissão em qualquer província e ser advogado no Canadá. Pode ser feito ainda no Brasil.

Devem ser apresentadas cópias da documentação exigida em inglês ou francês (região de Quebec).

No tópico referente ao órgão responsável por colher esses documentos, você conhecerá mais adiante a lista completa dos itens requeridos.

A emissão do ECA (Educational Credential Assessment) é obrigatória. Trata-se de uma credencial através da qual o diploma de qualquer instituição estrangeira seja aceito no Canadá. O interessado precisa contatar o CIC (Cidadania e Imigração e Canadá) para fazê-lo.

Idioma

A fluência no idioma é um item básico, bem como o conhecimento de termos técnicos da advocacia. Foto: Biljana Jovanovic

Não adianta estar com a documentação toda em dia e conseguir a tão desejada validação do diploma, se não houver um grau avançado em todas as habilidades linguísticas de inglês ou francês. Para ser advogado no Canadá, não só é preciso ler, falar, entender e escrever bem o idioma da província onde se pretende atuar, como também é fundamental provar tais habilidades.

Um exame de proficiência como TOEIC ou TOEFL pode ser realizado antes do embarque. Uma boa pontuação em qualquer uma dessas provas garante um bom entendimento de inglês.

Já em relação ao francês, o DELF e o DALF podem comprovar o nível avançado em quaisquer habilidades. No Brasil, a Aliança Francesa é responsável por aplicar o exame.

Vale lembrar que o francês é apenas exigido na província de Quebec. Nas demais, é obrigatório ter uma boa fluência em inglês. Logo, se quiser ser um advogado no Canadá, mas ainda tem certa insegurança em relação à língua, investir em um curso de aprimoramento é a melhor opção antes de concretizar o projeto.

NCA

Abreviação de National Committee on Accreditation, é o órgão responsável por receber toda a documentação dos solicitantes, o pagamento da taxa e avaliação.

O formulário de inscrição deve ser preenchido e está disponível no site da entidade.

Além deste, também devem ser apresentados:

    • Certificado ou carta de adesão, emitidos pelo órgão responsável pelo exercício da advocacia na região de origem do solicitante;
    • Currículo;
    • Históricos escolares e certificados de conclusão do curso de Direito;
    • Cópia das transcrições emitidas pelo órgão responsável pela advocacia e seus profissionais na região de origem do solicitante;
    • Pagamento da taxa de inscrição, de CAN$ 450.

Após a entrega da lista de documentos, o NCA avalia os candidatos, que recebem um Certificado de Qualificação ao serem aprovados. Para tal condição, é preciso conhecer as leis canadenses, assim como os profissionais formados no país.

O órgão também considera a formação e a busca de conhecimento obtido por cada solicitante, como por exemplo:

    • O sistema jurídico que serviu de base ao longo do aprendizado (direito civil, comum, híbrido, entre outros);
    • Experiência profissional na área, bem como sua duração;
    • O que foi estudado ao longo do curso de Direito;
    • Como foi esse aprendizado (curso presencial ou à distância, período integral ou parcial);
    • O reconhecimento do curso por instituições superiores.

Se o NCA julgar necessário complementar a formação, o pedido será feito após a avaliação. Pode ser exigida uma complementação em uma faculdade de Direito canadense ou a aprovação em outras provas aplicadas pelo órgão.

Quando posso começar a trabalhar?

A licença definitiva para ser advogado no Canadá é dada quando se cumpre todas as exigências determinadas pelo NCA. Nela, se tem a prova de que o profissional tem conhecimento das leis do país e realizado disciplinas específicas sobre o assunto.

Estudar sobre as leis locais e fazer cursos de aperfeiçoamento são fundamentais para se tornar um advogado no Canadá. Foto: Witwiccan

Com o reconhecimento do diploma, o solicitante pode ser considerado um bacharel em Direito no Canadá. Mas a obtenção do papel, que é de suma importância, ainda não é suficiente para começar a advogar em qualquer cidade local.

O profissional precisa fazer um estágio, que é obrigatório e denominado articling. Este dura um ano e tem a finalidade de dar experiência e vivência da profissão no país. Durante o período, há a supervisão de um advogado já atuante, chamado de principal.

Apenas após essa fase, o advogado pode finalmente exercer a sua profissão no Canadá, pois será considerado pronto para atuar em uma determinada área ou lidar com a legislação canadense diariamente.

Porém, a etapa seguinte é tão ou até mais desafiadora do que as demais: encontrar uma ocupação no país e finalmente colocar em prática todos os conhecimentos adquiridos no decorrer da formação e nos cursos de especialização. A seguir, conheça melhor o panorama do mercado de trabalho para quem é advogado no Canadá e como funcionam os processos seletivos nas empresas e escritórios.

Será levada em consideração, claro, a perspectiva para estrangeiros que buscam se firmar no país e desenvolver uma carreira segura e estável.

É fácil arranjar um emprego?

Esta é uma curiosidade não só para advogados que desejam trabalhar no Canadá, como também profissionais dos mais variados setores.

Fazer um estágio na área de Direito é obrigatório antes do início da vida profissional no Canadá. Foto: Martin Polo

Para que a busca por um emprego seja mais tranquila, algumas medidas podem ser tomadas. O mais interessante é que grande parte delas estão diretamente relacionadas à qualificação, logo é fundamental investir em cursos de atualização.

Como há a obrigatoriedade do estágio e, consequentemente, a convivência com profissionais que já atuam na área, o networking (rede de contatos) pode começar a ser feito desde então. Mais adiante, com todas as etapas cumpridas, esse recurso pode ser importante na busca do primeiro emprego como advogado no Canadá.

Cursos complementares em faculdades também podem ser importantes para o networking e para encontrar a tão desejada oportunidade. Alguns programas com o objetivo de encontrar profissionais buscam candidatos justamente nas instituições.

As redes sociais também podem ser portas de entrada para a vida profissional no Canadá. O LinkedIn, dedicado aos contatos corporativos, é muito útil nesse sentido.

No Canadá, diversos sites têm como objetivo procurar pessoas para preencher vagas em empresas. Plataformas como JobBank, Working.com, Workopolis e Canada Jobs oferecem diversas oportunidades para profissionais de todas as áreas.

Outros sites são dedicados ao mesmo objetivo, assim como outros canais na internet. Vale a pena fazer uma busca e se candidatar às vagas mais adequadas ao próprio perfil.

No decorrer do texto, já foi mencionado que o idioma é item primordial não só para trabalhar como advogado no Canadá, mas também para tirar a licença. Porém, aprender um vocabulário mais específico, relacionado à advocacia, é um diferencial.

Quem já atua no Canadá tem contato com termos técnicos. Portanto, quem entra no mercado de trabalho local precisa investir nesse aprendizado, para se tornar competitivo.

E quanto ao salário?

Se fosse fazer um ranqueamento das profissões mais bem pagas no Canadá, certamente a área de Direito estaria pelo menos entre as 20 primeiras colocadas.

Uma profissão se torna mais bem remunerada quando menos pessoas a escolhem como meio de vida. Assim, advogados com boa qualificação sempre terão oportunidades para se desenvolver na carreira.

Destacam-se nesse quesito as colocações nos setores de prestação de serviços para empresas e defesa criminal.

No Canadá, assim como em outros países, os valores anuais são divulgados, ao contrário do Brasil, onde é comum avaliar salários mensais. Evidentemente, diversos fatores fazem com que haja uma grande variação salarial dentro de uma única profissão. Se pode enumerar:

    • Tempo de experiência;
    • Qualificações;
    • Atribuições.

No entanto, a média anual do salário de um advogado no Canadá é de CAD$ 100 mil (quase R$ 290 mil).

Ao longo do texto, você viu como se tornar um advogado no Canadá, passo a passo. Para ter mais informações sobre oportunidades de trabalho no país, bem como moradia, estudos e outros tópicos relacionados, aprecie os outros textos do blog e acompanhe seu conteúdo novo e exclusivo. Em caso de dúvidas, comente ou entre em contato.

Topo