Estudar e trabalhar no Canadá é possível? Como funciona?

O Canadá é uma das melhores nações do mundo para estudar, trabalhar e viver. Possui um dos mais elevados IDHs do mundo (0,920 – 2016/2017), sendo um país que se destaca pela qualidade de vida, tendo como forte característica a educação sólida.

Os canadenses são conhecidos por serem hospitaleiros, voluntariosos. Há um senso de comunidade atuante, disposta a ajudar. Essa situação é positiva e favorece bastante a imigração.

A heterogeneidade cultural é marcante no Canadá. Seus habitantes e suas diferentes culturas exercem imprescindível função no desenvolvimento e crescimento da nação.

O Canadá é uma nação que acolhe imigrantes de várias partes do mundo.

Esses predicados acima citados fazem do Canadá um território próspero para quem procura estudar e trabalhar.

E a realidade confirma essas afirmações. Atualmente, muitas pessoas buscam oportunidades de estudo e trabalho no Canadá. Dentro dessa questão, realizar um intercâmbio proporciona uma experiência única, além dos objetivos profissionais, visto que garante bagagens úteis para a realização pessoal.

Ao imergir em um novo ambiente, com novas culturas, o estudante e o trabalhador estreitam suas relações com o idioma do local, com os distintos hábitos cotidianos.

Ademais, vivem de perto o sucesso profissional, pois mantêm na rotina um estreito contato com universidades e empresas estrangeiras.

Realizar um intercâmbio no Canadá abre as portas para a carreira profissional e faz com que a pessoa realize seu objetivo de emigrar para o país!

Como é possível trabalhar e estudar no Canadá?

Estudar no Canadá é possível e uma excelente opção.

Se a intenção é estudar por um período menor que 24 semanas, pode ser solicitado um simples visto de turismo.

Entretanto, com o visto de turismo não é possível trabalhar. Por isso a importância de conseguir obter um visto de estudos.

É válido atentar ao fato de que, devido à intensa imigração ilegal, há alguns anos não é mais possível trabalhar durante os estudos de idioma no país. Dessa forma, as regras foram alteradas de modo a restringir o processo de intercâmbio.

Mas ainda existem muitas opções para quem deseja estudar e trabalhar em solo canadense!

Para poder trabalhar legalmente, o aluno precisa estar matriculado em um curso de carreiras em um careercollege ou então em um curso de desenvolvimento profissional em uma universidade.

O Hospitality Management e o Business Management são dois bons exemplos de careercollege.

Cursos de longa duração, como um bacharelado ou um mestrado, também garantem o direito ao trabalho. O que não é permitido é realizar apenas um curso de idiomas enquanto se exerce um trabalho.

Importante: as regras de imigração devem sempre ser seguidas com rigor!

Sendo assim, é imprescindível atentar a algumas regras adicionais, tal como a da carga horária máxima de trabalho de 20 horas semanais durante a realização de um curso.

Quem tenta exercer um trabalho por um tempo maior do que 20 horas semanais corre o risco de ter a permissão cancelada, podendo ser expulso do programa e, assim, do país.

Sobre as buscas de oportunidades durante o planejamento do intercâmbio, o aluno é o responsável por procurar pelo próprio emprego nos programas de estudo e trabalho no Canadá.

Para cursos em careercolleges, faculdades ou universidades, o aluno tem ainda as opções de trabalho “co-op” e “post-grad work permit”.

O co-op é oferecido pela própria escola – não pelo governo –, faz parte da grade curricular e é equivalente a um estágio, que é obrigatório para a conclusão do curso e conta como parte acadêmica.

Por outro lado, o Post-Grad Work Permit é uma permissão de trabalho concedida pelo governo a alunos que se graduam em cursos de, no mínimo, um ano de duração, em uma instituição de ensino superior aceita pelo governo.

E quais são as instituições aceitas pelo governo? Geralmente, são as faculdades públicas. Todavia as particulares que oferecem diploma de bacharelado ou pós-graduação também são aceitas.

Após concluir os estudos, o graduado deve solicitar o visto Post-Grad Work Permit (PGWP).

Atenção! O PGWP tem duração de, no máximo, 3 anos e nem sempre está disponível para todos os programas de estudo e trabalho.

Abaixo seguem algumas dicas muito importantes para auxiliar quem está interessado em conciliar estudo e trabalho no Canadá.

Em relação à personalidade, é imprescindível:

  • Ser proativo, pois nada é conquistado sem muito suor;
  • Ser gentil, a primeira impressão vale bastante;
  • Manter a atitude positiva;
  • Ter paciência e persistência.

Em caráter formal e oficial:

  • Ter um excelente currículo em mãos, nunca hesitar em pedir auxílio a professores e colegas para editar as informações necessárias;
  • Ficar atento às normas locais, visto que o formato do currículo é diferente em cada país;
  • Fazer uma carta de intenções para cada tipo de vaga, descrevendo os objetivos do trabalho;

Para evitar que o nervosismo vença a solidez dos argumentos:

  • Praticar antes de uma entrevista de emprego;
  • Fazer uma lista com o nome de cada estabelecimento com o qual houve contato, com informações-chave (endereço, telefone, dia da visita ou do envio do currículo, nome da pessoa);
  • Estar ciente de que o processo entre entregar currículos, agendar a entrevista e ser contratado pode demorar até um mês (ou mais) em alguns casos.

Atenção! No hemisfério norte, como uma regra geral, entre março e maio e entre agosto e setembro, existem mais empresas contratando.

Importante! Se houver insegurança quanto à possibilidade de conseguir vagas, é válido dar preferência ao contato com a escola, pois a mesma irá garantir as entrevistas de emprego.

Onde procurar emprego:

Caminhar sempre é muito produtivo, pois a locomoção é lenta, permite prestar a atenção aos centros comerciais e procurar por placas que dizem “hiring” ou “need help” para encontrar vagas de emprego.

Quando deixar o currículo pessoalmente, sempre pedir pelo gerente (manager), já que o mesmo é quem tem o poder de contratar novos funcionários. Interagir é essencial. Uma Conversa com as pessoas, contando sobre a intenção de emprego, nunca é demais!!

Outro aviso importante: a concessão de vistos para quaisquer programas no Canadá, inclusive para todo e qualquer programa de estudo e trabalho, não é um direito de qualquer estrangeiro.

Sendo assim, o ideal é que se apresente a documentação muito bem organizada e preparada!

Como conseguir um visto de estudos?

Para se obter um visto de estudos no Canadá, há a necessidade de seguir os cinco itens abaixo descritos:

1. Identificar um curso correspondente à área de interesse. Como o curso tem a duração de alguns meses, é conveniente que o assunto seja importante para o aluno. Além disso, o trabalho provavelmente será na mesma área dos estudos – se o programa for co-op, ou seja, se tiver um período de “estágio remunerado” no final.

2. Fazer a matrícula na escola. Dependendo da instituição, pode ser preciso enviar uma bateria de documentos e, também, uma prova de proficiência em inglês ou francês – IELTS ou TEF, por exemplo. Há escolas que oferecem um teste mais simples (alguns careercollege).

3. Assim, a escola irá fornecer uma carta de aceitação, ou Letter of Acceptance (LOA). Nela irá constar o nome, o código do aluno e os detalhes sobre o curso: duração total, data prevista para o início e final e o tuiton (valor do curso).

4. Com a Letter of Acceptance em mãos, é a vez de dar entrada no visto de estudos.

5. Estando pronto, o visto é colado no passaporte.

Detalhe importante:

Prestar atenção às datas de validade do visto e também do início do curso, pois chegar no Canadá muito tempo antes do início do curso pode criar problemas!

No entanto, chegar com um mês de antecedência pode ser tranquilo, visto que entende-se a necessidade de ir atrás de certas coisas, como encontrar um apartamento para alugar.

Qual a diferença entre o visto e opermit?

É necessário notar que visto e permit são duas coisas distintas.

O visto é um adesivo que segue anexo no passaporte. Ele pode ou não conter uma foto de identificação pessoal. Nele, há informações sobre o tipo de atividade que se pretende realizar – visitar, estudar, trabalhar ou imigrar – e as datas de emissão e de expiração.

Exemplo de visto canadense.

No momento do desembarque, há uma entrevista com um oficial da imigração canadense. Mesmo que o visto esteja em mãos, é esse oficial que irá, durante a entrevista, decidir se a pessoa irá ou não entrar no país.

Ao ser aceito como residente temporário, recebe-se do oficial dois documentos: duas folhas timbradas do governo do Canadá, as permits. Essas são as permissões de estudo e de trabalho, as quais não podem ter validade superior à do visto.

Resumindo: visto é a permissão para entrar no Canadá, permit é a garantia da permanência no país por um certo período.

É possível renovar o visto de estudo?

Sim!

Ao receber o permit, podem ser verificadas duas datas no documento: a de emissão e a de expiração.

Atenção: é imprescindível verificar a data de expiração, posto que não necessariamente irá corresponder ao final do curso, especialmente nos casos de cursos mais longos.

Quando isso ocorrer, é preciso pedir uma extensão do visto de estudos.

Importante: o pedido de extensão do visto de estudos deve ser feito com, ao menos, 30 dias de antecedência à data de expiração do permit.

Quais são os documentos necessários para renovar um visto de estudos?

É preciso ter muita atenção aos documentos necessários para renovação.

Além do passaporte e dos formulários, é necessária a carta de aceitação da escola (LOA) e mais dois documentos que seguem descritos abaixo.

A carta de intenção é um jeito que o Canadá encontrou para conhecer melhor o candidato.

O conteúdo dela inclui detalhes sobre a educação e o trabalho da pessoa, sobre o motivo pelo qual objetiva estudar no Canadá, as pretensões pessoais e profissionais a partir do ganho de experiência, como a oportunidade se encaixa no planejamento de carreira.

Importante: ao concluir a carta, deve-se colocar que a intenção é voltar ao Brasil depois do término do curso. Mesmo que haja planos de solicitar o PGWP no futuro, não precisa mencionar isso inicialmente.

Lembrar: Um passo de cada vez!

A respeito da comprovação financeira, o site do governo canadense informa que o mínimo necessário é o equivalente ao total do valor do curso (tuition), mais 10 mil dólares para cada ano que se pretender ficar no país.

No caso de ser acompanhado pelo cônjuge, será preciso ter mais 4 mil dólares canadenses disponíveis para cada período de 12 meses.

Outro documento necessário: também será preciso fazer um exame médico, realizado e assinado por um médico credenciado.

Você já conhece o eTA visto para o Canadá? Agora ficou fácil viajar para o país. É rápido e, o melhor, tudo online! Para mais informações, entre em contato com a eTA Canadá Visa.

Gostou do artigo? Planeja estudar e trabalhar no Canadá? Então curta e compartilhe com seus amigos!

Topo