Como funcionam as escolas públicas canadenses?

Quem toma a decisão de ir viver no Canadá está, na maior parte das vezes, atrás de qualidade de vida para si mesmo e para sua família. Parte da qualidade de vida passa pela escola, e é aí que surge uma dúvida comum a pais de qualquer lugar: como funcionam as escolas no Canadá? O que as diferencia das escolas do Brasil? Como se matricular em uma escola canadense?

Essas dúvidas também afligem os pais que, buscando uma formação mais ampla e independente para os filhos, enviam suas crianças e adolescentes para cursarem uma ou mais séries no Canadá. No país, há escolas para todas as idades, e com duas principais vantagens: elas são públicas e de qualidade.

As escolas no Canadá são um pouco diferentes das brasileiras.

Como funcionam as escolas públicas canadenses?

Assim como no Brasil, as crianças começam cedo a frequentar a escola no Canadá. Existem creches, ou daycare, e maternais, ou kindergarten. Esses estabelecimentos recebem crianças de até seis anos, quando começa o ciclo básico obrigatório. O daycare não é gratuito, e os pais precisam entrar em longas listas de espera para conseguir vagas para seus filhos.

As escolas de educação básica no Canadá são divididas informalmente em dois ciclos: elementary school, que seria equivalente ao ensino fundamental, do 1º ao 8º ano, ou seja, para alunos de 6 a 14 anos, e high school, que seria como o 9º ano do ensino fundamental mais o ensino médio no Brasil. A contagem das séries é ininterrupta, da grade 1 até grade 12, ou, se considerarmos também o kindergarten, K-12.

O ano letivo começa em setembro e termina em junho, para que o maior período de férias englobe o verão no hemisfério Norte. Há, assim como nos Estados Unidos, dois feriados prolongados, ou breaks: spring break, uma semana de folga em março, e Christmas break, em geral duas semanas de folga na época do Natal.

As escolas públicas são administradas pelo governo de cada província. O governo federal administra apenas a educação dos povos indígenas e a escola superior das Forças Armadas. Existem dois tipos de escolas públicas: convencionais e católicas. A diferença é que nas escolas católicas os alunos aprendem mais conteúdos ligados à religião e teologia, e o uso de uniforme é obrigatório.

Portanto, as regras e também as matérias oferecidas variam de acordo com a província. Para citar apenas uma diferença, na província do Québec há apenas 11 séries.

Existem escolas particulares no Canadá, mas elas não são tão conceituadas quanto no Brasil. Dependendo da província, escolas religiosas judaicas ou muçulmanas são mantidas pela iniciativa privada. Apenas 5% das crianças canadenses frequentam escolas particulares, a maioria delas com mensalidades muito caras.

Todas as crianças, mesmo os filhos de imigrantes ainda não legalizados, têm o direito de estar na escola no Canadá. As regras mudam de acordo com a província, e em geral os filhos de imigrantes precisam de alguns documentos que comprovem que os pais estudam ou trabalham em tempo integral no Canadá. Verifique qual a documentação necessária na província em que você pretende morar para poder solicitar os documentos antes do início do ano letivo.

Atenção: os alunos que não são residentes permanentes no Canadá e não estão em processo de obtenção de cidadania canadense, como os alunos de programas de intercâmbio, precisam pagar a escola. O preço varia entre 12,5 mil e 14 mil dólares canadenses por ano – entre 30 e 35 mil reais.

Como definir qual a melhor escola para o seu filho?

Assim como no Brasil, a escolha da escola ideal para o seu filho no Canadá deve ser ponderada e levar em conta diversos aspectos, como a proximidade da casa, a infraestrutura e as atividades extracurriculares. Quem se preocupa com avaliações externas pode também consultar o ranking de escolas feito pelo Fraser Institute.

Por isso, a questão da escola deve ser muito bem pensada desde o momento em que se escolhe um lugar para morar, porque o zoneamento será levado em conta para definir em que escola a criança poderá ser matriculada.

Cada província oferece atividades extracurriculares diferentes, e elas também mudam de uma escola para outra. A maioria dessas atividades envolve esportes, formação humanística e respeito a outros povos e culturas.

Quais são os documentos necessários para a matrícula?

Tome nota de todos os detalhes e não deixe a matrícula do seu filho em uma escola no Canadá para a última hora.

Novamente, as exigências mudam de província para província. Em linhas gerais, os documentos necessários para um aluno se matricular em uma escola no Canadá são:

  • Certidão de nascimento da criança, traduzida para o inglês;
  • Documento de identidade da criança;
  • Passaporte;
  • Visto válido, tanto o da criança como o dos pais;
  • Comprovante de residência;
  • Comprovante de cidadania canadense, cartão de residência ou outro documento que comprove que a família da criança se encontra em condição legal de imigração;
  • Social Insurance Number (SIN) – um número de nove dígitos dado a todos os canadenses e também aos residentes permanentes e temporários, para que possam ter direito aos serviços básicos públicos;
  • Histórico escolar em inglês;
  • Carteira de vacinação.

Para fazer matrícula nas escolas católicas, os alunos precisam apresentar um comprovante de batismo, que demonstra que eles são, de fato, católicos. Nas escolas de Toronto, além desses documentos, é necessário preencher na própria escola um formulário sobre impostos escolares.

Esses documentos devem ser apresentados no distrito escolar – School Board – mais próximo da sua casa, de preferência alguns meses antes do início do ano letivo.

Como é a rotina das escolas canadenses?

Todas as escolas no Canadá funcionam em período integral, ou seja, o aluno chega para a aula pela manhã e só volta para casa no final da tarde. No kindergarten, é comum que as crianças fiquem menos tempo na escola, para irem se acostumando aos poucos com a rotina, os professores e os coleguinhas.

Os alunos só começam a receber boletins com notas a partir da sexta série. Da segunda à quinta série, eles são avaliados através de conceitos, ou seja, o boletim apenas mostra se a criança atingiu ou não os objetivos de aprendizagem previstos.

As notas no boletim são dadas da mesma forma que nos Estados Unidos – da nota mínima D- até a nota máxima A+. Quando se percebe que o aluno não vai atingir um nível satisfatório em alguma das matérias, os pais são chamados para uma intervenção e muitas vezes aparece o conceito R (regular) no boletim. O conceito I (insuficiente) surge quando o professor não consegue avaliar os conhecimentos do aluno porque, por exemplo, ele acabou de chegar na escola no meio do ano letivo ou ainda está não é fluente em inglês.

Nos anos iniciais, as escolas do Canadá se preocupam mais com a evolução do aluno do que com notas.

Os pais conversam com os professores duas vezes por ano, depois que dois dos três boletins são entregues. Essas conversas formais duram cerca de quinze minutos e são feitos quando não há aula, e separadamente com cada pai ou mãe. Alguns professores, mais abertos e informais, podem também conversar com os pais na saída da aula, embora muitos prefiram marcar horário para a reunião com os pais de alunos.

Na maioria das escolas, há dois curtos intervalos de vinte minutos, um no turno da manhã e outro no turno da tarde, e um intervalo longo, correspondente a uma hora de almoço. Como a província é responsável também pela alimentação dos alunos, eles podem receber um almoço, comprar na cantina da escola ou levar a comida de casa.

As crianças costumam levar os lanches e o almoço de casa, em recipientes térmicos, que conservam o calor. Em geral, não é permitido levar para a escola comidas com nozes, avelãs, amendoim e frutos do mar, devido ao grande número de crianças que têm alergia a algum desses alimentos.

Até a décima série, todos os alunos têm a obrigação de estudar as mesmas disciplinas. Na 11ª e na 12ª séries, eles podem já se decidir por uma profissão ou ao menos a faculdade que queiram frequentar, e cursar matérias direcionadas a essa meta.

De acordo com o tipo de instituição de ensino superior que o aluno quiser frequentar – uma university ou um college – ele vai precisar focar em algumas matérias. A diferença entre university e college é basicamente a quantidade de cursos oferecidos, que é maior nas universities. Assim, o aluno deve escolher se quer estudar uma matéria no nível university ou college, de acordo com suas pretensões para o futuro.

Em algumas escolas existem split classes, ou classes mistas, que agrupam alunos de duas séries em uma só sala, com um único professor. Isso acontece quando as classes são muito pequenas, com menos de vinte alunos, ou quando não há salas de aula suficientes nos anos iniciais. Embora esta opção nem sempre agrade aos pais, as split classes estão se tornando cada vez mais comuns nas escolas do Canadá.

O que a criança precisa levar para a escola?

Aqui vai uma ótima notícia para quem se espanta com as listas quilométricas de material escolar que são pedidas todos os anos nas escolas do Brasil: nas escolas do Canadá, quase todo o material é fornecido pelo governo.

Livros, estojos e lápis: tudo é de graça. Vale lembrar que deve existir algum material escolar em casa, para a criança fazer seus deveres. O gasto dos pais é apenas com as roupas.

Nas escolas do Canadá, o material escolar é fornecido pelo governo.

As escolas católicas têm cada uma seu próprio uniforme, que é comprado pelos pais dos alunos, por cerca de 400 dólares canadenses, ou pouco mais de mil reais. As demais escolas públicas podem ter regras mais flexíveis, determinando apenas as cores que podem ser usadas, ou liberar os alunos para usarem o que quiserem.

Como levar o seu filho até a escola?

Há duas opções: você pode levar seu filho para a escola no Canadá a pé ou de ônibus. Não é comum ver aquela bagunça estressante causada por dezenas de carros nos horários de entrada e saída da escola.

O ônibus é como aquele que você já deve ter visto no cinema ou na televisão: pintado de amarelo e preto, que pega as crianças perto de casa e as devolve no final do dia. Nem sempre esse serviço é gratuito.

Muitos alunos vão para a escola no Canadá de ônibus.

Sempre que o aluno precisar faltar, é costume que os pais avisem a escola para que os professores e diretores não fiquem preocupados, pensando que a criança se perdeu no caminho.

E se meu filho tiver dificuldade com a língua inglesa?

Não há problemas se seu filho não for fluente em inglês: as escolas no Canadá oferecem reforço gratuito aos alunos com alguma dificuldade com a língua. Nas séries iniciais, é comum que, além do reforço, seja adotada uma forma diferente de avaliação para os alunos imigrantes que ainda não dominam o idioma. Este reforço é chamado ESL – English as a Second Language.

No Canadá, todos os alunos aprendem também francês, que é uma das línguas oficiais do país e o idioma predominante em algumas províncias, a exemplo do Québec. Em todas as províncias, os pais podem optar por colocar seus filhos em programas de imersão na cultura francesa, durante os quais eles aprenderão mais sobre a língua e os costumes da França. Isso geralmente é um diferencial para quem quer atingir um nível de fluência na segunda língua em menos tempo.

Públicas, gratuitas e de excelente qualidade, as escolas no Canadá existem para formar cidadãos críticos, e por isso estão seduzindo mais e mais pais brasileiros que querem um futuro diferenciado para seus filhos.

Você quer mais dicas sobre a vida no Canadá? Está pensando em se mudar para lá? Acesse sempre nosso blog e deixe seu comentário para que possamos esclarecer suas dúvidas.

Topo