Como estudar no Canadá sem ter gastos

Ao planejar estudar no exterior, é normal fazer uma lista de países e universidades para as quais você pode tentar uma vaga. No entanto, dificuldades para tirar o visto e outros empecilhos fortalecem mais a educação canadense. Sendo assim, como estudar no Canadá? É possível fazê-lo de graça?

Cursos gratuitos e pagos, idiomas e cursos profissionalizantes são maneiras de como estudar no Canadá.

A resposta é “sim” para as duas questões. Conseguir o visto canadense é bem mais fácil do que o dos Estados Unidos, por exemplo. Sem contar a qualidade: algumas das melhores instituições de ensino do mundo estão no país.

Você pode estudar de forma gratuita no Canadá pleiteando bolsas de estudo nas universidades. Todos os anos são oferecidas oportunidades para estudantes de todo o mundo. Cada instituição tem os seus requisitos, mas alguns deles são gerais:

Inglês intermediário ou avançado – Fluência suficiente para manter uma conversação cotidiana é necessária para estudar no Canadá. Para estudar no Quebec, você também precisa ter um certo domínio do francês;

Mínimo de 18 anos de idade – Os cursos oferecidos são em universidades. Logo, é a idade na qual os estudos na escola são concluídos

Estar frequentando um curso de graduação no Brasil – Você precisa ter terminado pelo menos um semestre para ingressar em uma universidade canadense

Histórico de boas notas em toda a vida acadêmica, principalmente no ENEM.

Para saber quais universidades oferecem bolsas de estudo, acesse este link em português. Lá você acessa os links de cada instituição e tem mais informações sobre cursos, datas e requisitos específicos.

O governo canadense mantém um programa de bolsas de estudo com o nome de Emerging Leaders in the Americas Program (ELAP). Visite este site, em inglês, para saber mais.

As bolsas de estudo beneficiam, além de alunos de graduação, de pós, incluindo mestrado, doutorado e pós-doutorado.

Você verá agora que estudar no Canadá é bem mais fácil do que se imagina. O Brasil mantém parceria com o país e você saberá mais sobre isso a seguir.

Como é o acordo entre Brasil e Canadá

O CAPES (Comissão de Aperfeiçoamento de Pessoal do Nível Superior) mantém com o DFATD (Ministério de Relações Exteriores, Comércio e Desenvolvimento do Canadá) uma parceria que torna mais fácil a entrada de brasileiros como estudantes no Canadá.

Mesmo com a redução de investimentos nos últimos anos, ainda é possível se beneficiar desse acordo.

Através do site do CAPES, você fica por dentro de datas e cursos de graduação e pós oferecidos.

Quanto custa estudar no Canadá

O custo de vida no Canadá é bem menor do que em países como os Estados Unidos, por exemplo. Produtos como alimentos, roupas e eletrônicos costumam ser mais baratos. Isso já faz uma grande diferença quando se escolhe estudar no país.

O Canadá recebe estudantes de todos os locais do mundo, que veem no país a chance de aprimorar sua qualificação e visão de mundo.

Apenas o deslocamento entre países costuma ser mais caro: para ir à Europa ou Estados Unidos, as passagens aéreas têm um preço menor.

Já o custo com educação, para um curso de graduação, varia entre 15 e 19 mil dólares canadenses (em torno de R$ 36 a 45 mil reais).

Para estudar no Canadá, não é preciso apenas pensar em cursos superiores. Você pode melhorar seu inglês e francês no país.

Uma vantagem é que os preços costumam ser 30% menores do que nos Estados Unidos, quando se fala em estudar inglês. Sem contar que algumas cidades canadenses, principalmente as menores, não têm tanta concentração de brasileiros e hispânicos, permitindo que você pratique o idioma em tempo integral.

O seu aprendizado será muito mais efetivo e sem vícios de linguagem, como traduções mentais.

Como consequência, você obtém fluência muito mais rapidamente.

Os cursos técnicos também são opções viáveis quando se fala em estudar no Canadá. Com duração de até um ano, contam com preços menores e dão treinamento profissionalizante na área que você escolher.

Para fazer esses cursos, você precisa ter o Ensino Médio completo e inglês intermediário, no mínimo.

A vantagem é que, como dão formação profissional, você pode pleitear uma permissão de trabalho no país após concluí-lo. Dependendo da profissão, o visto tem duração de um a três anos. E falando em trabalhar e estudar no Canadá, você terá mais detalhes sobre isso a partir de agora.

Estudar e trabalhar

Apesar de tudo ser mais fácil no Canadá, desde tirar o visto até conseguir se estabelecer no país, é proibido exercer qualquer atividade remunerada sem ter a permissão para isso.

Logo, se você viajar para o país com visto de estudante ou turista e trabalhar, isso será feito ilegalmente.

As exceções são trabalhos realizados dentro da universidade à qual o estudante tem vínculo, além de estágios não remunerados e atividades voluntárias.

Para trabalhar no Canadá, você precisa ter permissão. Há opções remuneradas, normalmente no comércio, e não remuneradas, relacionadas às áreas estudadas nas universidades.

Porém, um programa do governo canadense permite que estrangeiros tenham essa jornada dupla sem problemas, na área que estiver estudando ou não. Trata-se do Study+Work (em português, Estudo+Trabalho).

Com esse nome prático, o programa beneficia estudantes matriculados em cursos superiores. Portanto, quem está aprimorando seu inglês ou francês não pode participar.

O Study+Work funciona da seguinte maneira: o aluno passa metade do tempo de seu intercâmbio estudando e a outra, trabalhando em atividades remuneradas ou não.

Por exemplo: em uma estadia de um ano no país, durante seis meses você participa do curso e o resto do tempo é dedicado ao trabalho.

Os requisitos para ingressar no programa são praticamente os mesmos de se estudar no Canadá. É necessário ter um bom domínio de inglês e no mínimo 18 anos. Ter cursado uma faculdade anteriormente é um diferencial.

No entanto, é necessária uma autorização especial para trabalhar, além do visto de estudante.

Como já mencionado, o trabalho pode ser remunerado ou não. Ao participar do Study+Work, você deve escolher uma coisa e abrir mão de outra.

Explicando melhor: as áreas relacionadas aos cursos, como administração, engenharia, informática e comunicação, entre outras, normalmente têm posições não remuneradas. Já funções vinculadas ao comércio e serviços, como atendentes de lojas, restaurantes e agências de viagem, oferecem salários.

Assim, você deve escolher ganhar experiência profissional ou ter um dinheiro extra.

A remuneração oscila entre 8 e 15 dólares canadenses por hora (em torno de R$ 20 a R$ 35).

Para saber mais sobre o programa, visite o site do governo canadense (em inglês). A proposta é interessante, pois você pode ter uma formação completa ao trabalhar e estudar no Canadá!

Por que estudar no Canadá

Além do custo menor em relação a países como Inglaterra (incluindo todo o Reino Unido), Austrália e Estados Unidos (economia de 30%), estudar no Canadá tem outras vantagens:

Qualidade de vida do país – O Canadá é um dos países mais desenvolvidos do mundo. Com excelente IDH (Índice de Desenvolvimento Humano), oferece uma educação e saúde públicos e de qualidade e uma distribuição de renda mais justa. Sua política e economia são estáveis, proporcionando mais conforto e possibilidades aos seus habitantes;

Nação bilíngue – Como uma nação falante do inglês e francês (em Quebec), é perfeito para quem quer aprimorar suas habilidades linguísticas. Diferentemente dos Estados Unidos, que tem muitos sotaques e regionalismos, o inglês canadense é mais uniforme. Para quem prefere o francês, estudar no Canadá é bem mais em conta do que na França

Estudar no Canadá tem muitos fatores a favor, entre eles o bilinguismo (inglês e francês), a diversidade e o custo de vida, menor que em outros países bastante visitados por estudantes. O frio pode ser um fator contra.

Cultura – Como um país que recebe muitos estrangeiros, tem uma variedade cultural e gastronômica muito grande.

Pontos turísticos – Ao estudar no Canadá, você também tem a oportunidade de conhecer paisagens incríveis. A experiência é única, já que se trata de um país fisicamente diferente do Brasil. Esquiar, ver a aurora boreal e as cataratas do Niágara, na fronteira com os Estados Unidos é maravilhoso!

Festivais – Em território canadense, há eventos especialmente dedicados à culinária, arte e teatro, entre outras manifestações. Em Vancouver, você pode presenciar o Celebration of the light, um campeonato de fogos de artifício, e, em Montreal, o Just for Laughs, de comédia, só para citar alguns exemplos.
Segurança – Em época de atentados terroristas e banalização da violência, o Canadá é uma excelente alternativa para estudar e trabalhar. O ONG Vision of Humanity montou um ranking de segurança dos países, levando em consideração acidentes, tragédias naturais e assassinatos. O Canadá ficou em sétimo lugar.

Prós e contras

Você acabou de ler algumas razões para estudar no Canadá e essas podem também ser fatores a favor de tal decisão. Mas isso não é o suficiente. Ainda há outros bons motivos:

Facilidade para tirar vistos – Como você já leu neste e em outros artigos, o Canadá não é um país excessivamente burocrático. Desse modo, se você preencher todos os requisitos e estiver com a documentação completa, as chances de conseguir o visto são praticamente certas.

Hospitalidade – Os canadenses são muito receptivos. Pessoas do mundo todo procuram o país para estudar, trabalhar e ter novas oportunidades, podendo se sentir em casa. Isso facilita a adaptação e torna essa experiência ainda mais positiva.

Oportunidades – O Canadá tem pouco mais de 35 milhões de habitantes, menos que o Estado de São Paulo, com 44 milhões. Com uma pequena população, falta mão de obra. Por isso, os imigrantes são sempre bem-vindos, sem entrar em conflito com a população local.

São muitas razões para visitar o Canadá não só para turismo, mas também para ampliar seus conhecimentos e experiências acadêmicas e profissionais.

Por outro lado, estudar no Canadá tem alguns aspectos que podem parecer negativos, dependendo do ponto de vista:

Indústria – Como um país de menor porte, o Canadá não dispõe do mesmo parque industrial de muitos países do mesmo nível de desenvolvimento social, para se ter uma ideia. Isso faz com que a oferta de empregos e cursos em algumas áreas seja mais escassa.

Frio – Para brasileiros acostumados ao clima tropical (e em algumas regiões com total ausência de inverno), o frio canadense pode ser um fator de estranhamento. Com temperaturas negativas no inverno, sua maior média mensal de temperatura é o mês de julho, no verão, com 21 graus – em alguns pontos do Brasil, essa já é uma temperatura baixa.

Agora que você já tem um guia completo de como estudar no Canadá, inclusive com oportunidades gratuitas, pode começar a fazer seus planos, escolher seu curso e cuidar do visto e preparativos.

Pode acreditar: não é um sonho distante nem algo para um determinado perfil de pessoas. A pluralidade e diversidade do Canadá fazem com que você encontre todo tipo de gente, que não é julgada nem olhada de outra maneira.

Este, inclusive, é mais um ponto positivo de estudar no Canadá e aproveitar as oportunidades oferecidas pelo país.

A importância disso torna-se maior quando você pensa que estará em um país distante, afastado de sua família e todos que você ama. Só o fato de ser aceito como é já é um motivo extra para seguir adiante e concretizar os seus sonhos.

Você já conhece o eTA visto para o Canadá? Agora ficou fácil viajar para o país. É rápido e, o melhor, tudo online! Entre em contato para mais informações.

Aqui no blog, você tem artigos bem explicados sobre absolutamente tudo o que diz respeito a uma viagem para o Canadá, desde o preenchimento dos formulários para tirar o visto até a estadia no país. Leia os nossos textos e não esqueça de entrar em contato em caso de dúvidas.

Se você ainda está amadurecendo a ideia de sua viagem, visite o site sempre. Você terá informações atualizadas e tornará mais fácil a realização de sua viagem, seja ela para turismo, estudos ou trabalho.

Topo