7 dúvidas comuns sobre o visto canadense

Tirar o visto canadense é bem mais fácil do que tirar visto para alguns outros países, como os Estados Unidos, por exemplo. É possível fazer a solicitação pessoalmente ou pela internet e as chances de aprovação são realmente grandes.

Mesmo assim, como se trata de documentação e preenchimento de formulários, entre outras eventuais exigências, todo o processo gera muitas dúvidas nos aplicantes.

Por isso, reunimos aqui algumas questões geralmente feitas por quem precisa viajar para o Canadá, seja qual for a finalidade: estudos, trabalho ou turismo.

Se você ainda não entende muito bem alguns passos do processo ou precisa de mais informações, confira a seguir algumas respostas sobre como tirar o visto para o Canadá.

Todos os detalhes referentes à viagem, principalmente à compra de passagens, devem ser resolvidos apenas após a obtenção do visto canadense

1 – O que fazer primeiro: tirar o visto canadense ou organizar a viagem?

Certamente, até mesmo para evitar decepções, o visto deve ser conseguido antes de qualquer preparação para a viagem, como a compra de passagens e acomodações. Após a confirmação da permissão para entrar no país, você já pode começar a preparar tudo.

Se você tem receio de atrasos nos seus planos, fique tranquilo: o processo costuma ser realizado rapidamente, em cerca de dez dias úteis. Apenas algumas eventualidades podem fazer com que haja atrasos, como atestados médicos e entrevistas. Mas, nem todos os viajantes precisam dessas exigências, apenas se a imigração pedir.

2 – Quem tem restrição no nome tem o visto negado?

É humanamente impossível consultar o nome de todos os aplicantes junto aos órgãos de proteção ao crédito. Logo, isso não costuma ser feito e, mesmo que você tenha restrição, pode conseguir o seu visto para o Canadá normalmente e pode viajar para o país, seja qual for a finalidade.

Contudo, subtende-se que quem esteja com o nome sujo tenha dificuldades financeiras ou para comprovar renda. E esse é um requisito obrigatório na entrega da documentação. Se você tem holerites, extratos bancários ou declaração de Imposto de Renda, não deverá ter maiores problemas.

Geralmente, nesses casos, apenas uma insuficiência de renda pode fazer com que o seu pedido seja negado. Portanto, fique atento aos valores, que variam de acordo com o tipo de visto e com o número e idade dos acompanhantes.

3 – É possível entregar a documentação em português?

Sim! Normalmente, não é necessário traduzir documentos. Porém, se a imigração canadense tiver qualquer dúvida no momento da análise da papelada, poderá solicitar a tradução juramentada.

Isso geralmente acontece quando os documentos estão em má qualidade e, consequentemente, ilegíveis. Também ocorre quando um determinado item é colocado em campos errados, no caso de o processo ser feito pela internet.

O tradutor juramentado é um profissional específico para casos como esse e é com ele que você deve contar. Para conseguir um, procure na Junta Comercial de seu Estado.

Ressaltando que é imprescindível ficar atento a todas as etapas do processo, para não haver esse tipo de intervenção e, como consequência, atrasos. Preste atenção na qualidade das cópias de seus documentos, sejam em papel ou digital, e tenha certeza de que todas as informações possam ser lidas.

4 – Posso tentar tirar novamente o visto canadense após ter sido negado?

Sim, é possível e o melhor: não há prazo de carência. Quando uma solicitação é recusada, o aplicante recebe uma carta mostrando os principais motivos para tal. Sendo assim, é possível corrigir isso e tentar novamente, apresentando o que a imigração exige.

Normalmente, comprovação financeira, vínculos e informações falsas são as principais razões para a negativa. Então, verifique cada aspecto e seja sincero em suas informações, pois, tudo é verificado durante o processo de análise. Se houver contradições, a reprovação é praticamente certa.

5 – Tero visto americano negado influencia na solicitação do visto para o Canadá?

Apesar de as imigrações canadense e americana trocarem informações entre si, as análises são diferentes. Os americanos são bem mais rígidos em relação aos vistos de entrada para estrangeiros.

Porém, se a documentação tiver alguma irregularidade ou insuficiência, como comprovação de renda, por exemplo, você pode receber outro não.

A aprovação na requisição do visto para o Canadá depende apenas da documentação, na maioria dos casos. Se tudo estiver certo e não houver questionamentos, o “sim” será, certamente, dado.

6 – Para conseguir um visto de trabalho, é necessário já ter uma ocupação no país?

De preferência, sim. Assim, as chances de conseguir a permissão são muito maiores. É bom já ter uma proposta em mãos antes de solicitar o visto.

O Canadá tem propensão a abrir posições de trabalho para profissionais que tenham uma qualificação definida.Decidir com o que trabalhará apenas quando chegar ao destino, geralmente, não é um bom negócio.

7 – É possível trabalhar no país com o visto de estudante?

Não. Mesmo que você tenha fluência nas línguas oficiais canadenses (inglês e francês) e uma qualificação, este tipo de visto não permite que você exerça qualquer função profissional em território canadense. Logo, se isso acontecer, você estará trabalhando ilegalmente.

Se você considera a possibilidade de estudar e trabalhar no país, pense nisso antes do embarque e tire os vistos compatíveis. Assim, você evita dores de cabeça posteriores.

Se você considera a opção de exercer alguma atividade remunerada no Canadá, procure verificar as exigências antes da viagem e conseguir o visto correspondente

Você já conhece o ETA visto para o Canadá? Agora ficou fácil viajar para o país. É rápido e o melhor, tudo online! Entre em contato para mais informações.

Agora que tudo ficou mais claro no que se refere à emissão do visto canadense, é hora de começar a sua requisição. Planeje bem cada etapa e esteja atento a cada exigência da imigração.

Se tiver mais dúvidas, leia nossos outros artigos. Temos informações completas a respeito de todo este processo. E visite o blog sempre para novas informações.

Topo